Controles personalizáveis que prometem um desempenho superior em jogos eletrônicos não são nenhuma novidade no mercado. Tanto é que empresas como Razer, Hori e Logitech, entre outras, construíram muito de suas famas a partir da oferta de dispositivos que oferecem métodos de interação diferenciados — o que resulta em preços ligeiramente mais caros do que o cobrado pelas opções consideradas “oficiais”.

Ciente de que há um interesse do público por acessórios com características mais completas e acabamento Premium, a Microsoft anunciou este ano o lançamento do Xbox One Elite Controller. Como seu nome deixa claro, ele é voltado principalmente a quem leva video games a sério e quer praticamente seu hobby — ou profissão — da melhor maneira possível.

Os princípios que nortearam o desenvolvimento do controle são evidentes: oferecer aos consumidores um produto resistente e que permita diversas opções de personalização. É justamente isso o que ele traz, embora não esteja isento de pequenas falhas de execução.

Design

À primeira vista, o Xbox One Elite Controller pode parecer somente uma versão do controle convencional do console com uma cor diferente. No entanto, basta inspecionar o dispositivo de perto para descobrir diferenças evidentes entre as duas versões.

Produzida majoritariamente em liga de aço, a novidade é substancialmente mais pesada que a opção-padrão da Microsoft. No entanto, os gramas a mais não resultam em um dispositivo que cansa as mãos, mas sim em algo que passa a sensação de resistência e durabilidade — segundo a fabricante, ele é feito para resistir sem problemas a longas sessões de jogatina intensa.

Outro diferencial fica pela inclusão de diversos componentes modulares. Isso significa que, caso alguma peça não esteja funcionando da maneira que você — ou um jogo determinado — prefere, é possível trocá-la por outra mais adequada em questão de segundos.

Dentro da embalagem do Elite Controller, você encontra dois direcionais, três conjuntos de botões de controle analógicos, dois gatilhos e duas paletas. Essas peças podem ser adicionadas e removidas com facilidade devido ao sistema de fixação magnética adotado pela Microsoft, que é firme o suficiente para impedir que as peças caiam devido ao efeito da gravidade.

O produto acompanha um case de proteção resistente na cor preta com o símbolo do Xbox em sua parte central e um cabo micro USB para recarregar o dispositivo ou utilizá-lo no PC (caso não tenha o adaptador sem fio oficial vendido em separado). Além de ter espaços para o armazenamento de cabos e pilhas, o acessório também conta com uma área para você guardar os componentes do controle que não está usando no momento.

O Elite Controller segue o design da versão mais recente do controle-padrão do Xbox One e possibilita usar fones de ouvido com conexão de 3,5 mm sem que seja preciso adquirir um acessório. Para completar, há duas pequenas alavancas na parte traseira que possibilitam ajustar o nível de pressão necessária para ativar os botões LT e RT.

Desempenho

O Elite Controller é um ótimo acessório para quem tem o Xbox One ou o PC como plataforma de preferência, mas é difícil considerá-lo algo revolucionário ou que vai mudar completamente sua experiência de jogo. Ele deve ser visto mais como um aprimoramento natural de uma base que já é excelente do que algo que “reinventa a roda”.

O quesito que mais merece elogio está nos direcionais analógicos modulares, que resultam em experiências que agradam a diferentes tipos de jogadores — sendo que é possível até mesmo misturá-los caso você deseje isso. O direcional digital com formato diferenciado merece atenção especial dos fãs de games de lutinha, pois proporciona uma execução mais confortável e exata de comandos.

Através do software dedicado ao acessório — disponível para Windows 10 e Xbox One —, você ganha um nível adicional de controle sobre a maneira como ele funciona. É possível ajustar a sensibilidade dos analógicos e remapear comandos para deixar o dispositivo funcionando da maneira que mais satisfaz suas preferências pessoais — possibilidade que também deve agradar a quem possui alguma espécie de limitação física.

A Microsoft também oferece a chance de você adotar alguns esquemas pré-configurados que levam em consideração as exigências de (poucos) jogos específicos. As ofertas são limitadas no momento e a empresa deu mais atenção aos jogadores de Xbox One, que podem baixar configurações específicas para Forza 6, Halo 5: Guardians e Gears of War: Ultimate Edition.

O aspecto do Elite Controller que parece um pouco mal-implementado são os gatilhos e paletas removíveis, cujos posicionamentos não são muito naturais. Embora seja possível brincar um pouco com a maneira como esses componentes se encaixam na parte traseira, muitos jogadores vão se incomodar com essas peças, pois é muito fácil ativá-las acidentalmente ao simplesmente tentar segurar o controle de maneira firme.

Para compensar um pouco o problema, há a possibilidade de remover essas peças ou usá-las em quantidade limitada durante a jogatina. O que mais decepciona nesse sentido é o fato de que empresas como a Razer (no Sabertooth e no Wildcat) já adotam soluções semelhantes de forma mais inteligente, com posições que respeitam mais a maneira como a maioria das pessoas segura acessórios do tipo.

No entanto, contanto que você esteja disposto a passar por uma fase de adaptação, os controles adicionais podem ajudar muito em alguns estilos de jogo. Em um jogo de tiro como Halo 5: Guardians, por exemplo, eles são bastante úteis ao permitir que você recarregue ou mude de arma sem precisar deixar de lado o analógico responsável pelo controle de mira.

Durante nossos testes, foi preciso realizar alguns ajustes nas pré-definições oferecidas pela Microsoft para que os gatilhos e as paletas funcionassem de maneira ideal — o que não acontece com todos os jogos. Em geral, sua experiência com os componentes adicionais vai depender tanto da maneira como você segura o acessório quanto do estilo do game escolhido, já que muitos não se beneficiam muito das opções de interação adicionais.

Somente para poucos (infelizmente)

Infelizmente, a Microsoft decidiu que não vai trazer o Xbox Elite Controller de forma individual para o Brasil — ao menos no momento atual. Ou seja, para adquirir um controle do tipo vai ser preciso recorrer à importação ou à compra do modelo do Xbox One que vem acompanhado pelo acessório, nenhuma delas uma opção barata.

O componente definitivamente é melhor que o modelo-padrão que acompanha o console, mas não se trata de algo essencial para a maior parte dos jogadores. Caso você não tenha problemas com a duração de seus acessórios ou não tenha pretensões de se tornar um profissional dos esportes virtuais, o produto não vai fazer muita diferença na hora de aproveitar seus games.

No entanto, caso você tenha a oportunidade de adquiri-lo sem que isso prejudique seu orçamento, vale a pena dar a ele ao menos uma chance. Mesmo que a utilidade dos gatilhos e paletas seja questionável em muitas situações, fica evidente a atenção que a Microsoft deu ao dispositivo, que, além de bonito é resistente e oferece um desempenho digno de elogios.

É difícil julgar se ele realmente vai fazer alguma diferença nos cenários competitivos, mas é de se imaginar que muitos jogadores profissionais vão gostar dele devido às possibilidades de configuração oferecidas. No fim das contas, o Xbox Elite Controller vai cair no mesmo campo de outros controles especiais, que são o sonho de consumo de muitos, mas que vêm acompanhados por preços que fazem com que somente um público restrito consiga aproveitá-los.

Cupons de desconto TecMundo: