A concorrida conferência da Microsoft durante a CES 2010 não poderia ter começado de pior forma para a empresa de Bill Gates. Cinco minutos antes faltou luz no local e toda a apresentação que estava preparada teve que ser reiniciada, causando um momento constrangedor para a empresa.

Com o problema resolvido Steve Ballmer, CEO da Microsoft, subiu ao placo para comandar a apresentação da noite. Os rumores do mercado durante a semana davam conta do lançamento de um novo tablet e de algumas novidades para o X-Box. Na prática isso de fato aconteceu, mas não sem deixar um clima de “faltou alguma coisa” no ar.

Ballmer abriu sua exposição falando do desempenho da Microsoft em 2009 e ressaltando as conquistas e os produtos que tiveram boa repercussão no mercado no ano passado. Ressaltando a importância do avanço tecnológico, um divertido vídeo estrelado pelo ator Seth Myers traçou um comparativo entre como as coisas eram no passado e as tecnologias disponíveis hoje em dia.

Microsoft

O CEO deixou claro que a empresa aposta no momento em três conceitos básicos para os seus produtos: telas por todos os lados, computação de nuvens e uma utilização natural da interface dos aplicativos. “As coisas que vemos hoje soam como as novidades que víamos nos filmes de ficção científica na década de 80”, destacou.

Na sessão dos produtos mais marcantes da empresa, o X-Box foi um dos destaques ao ser apontado como um dos dez gadgets que definiram a última década. Segundo a companhia já são mais de 39 milhões de aparelhos vendidos e um total de US$ 20 bilhões arrecadados com a venda de jogos.

O Bing também foi apontado como destaque pelo seu eficiente sistema de mapas e pelo fato de ter sido apontado com um dos poucos mecanismos de busca capazes de rivalizar o líder absoluto da categoria, o Google.

Steve Ballmer apresenta o novo tablet. Foto: Microsoft/Divulgação.

O setor automotivo também ganhou uma atenção especial com a apresentação de três tecnologias que já estão sendo comercializadas: o Sync, que equipa os veículos da Ford; o Blu & Me, que equipa os veículos da Fiat; e o recente UVO, desenvolvido especialmente para os veículos da Kia Motors e que estará disponível a partir do segundo semestre.

Outros números da empresa envolvendo todos os seus projetos também impressionam quando o assunto é o Windows 7. São 3 mil engenheiros, 50 mil colaboradores e um total de 8 milhões de beta testers. Segundo Ballmer já existem 4 milhões de aplicativos disponíveis para o novo sistema operacional.

E as novidades?

Steve Ballmer dividiu o palco com Ryan Asdourian, gerente sênior de produtos da Microsoft, para apresentar as duas novidades de maior impacto da noite. Primeiramente Asdourian apresentou uma série de computadores, notebooks e netbooks, de diversas marcas todas, é claro, com o Windows 7 sendo executado.

O avanço tecnológico foi apenas uma ponte para exibição do conceito de media room que a empresa pretende e implantar com seu novo produto. Tratas-se de uma plataforma em que será possível para o usuário baixar filmes e séries para o computador ou mesmo assisti-los em tempo real, transformando o PC como suporte para a TV do futuro.

 

Novo HP Slate

Integrando mídias sociais e computação de nuvens, a proposta é que o conteúdo do usuário – seja ele áudio, vídeo ou texto – possa ser acessado a partir de qualquer dispositivo, onde quer que o usuário esteja, sem que para isso ele precise carregar seus aplicativos.

Assim, é possível baixar um filme que, ao invés de estar hospedado em seu HD é transferido para um servidor remoto (nuvem). Sempre que quiser ver o filme o usuário pode acessá-lo até mesmo do celular – um HTC 2 foi utilizado como exemplo.

 

Media Room 2.0. Foto: Microsoft/Divulgação.

O mesmo conceito será aplicado às ferramentas colaborativas de trabalho. Asdourian fez uma simulação junto com Ballmer da construção de uma planilha via Power Point no Office 2010. Enquanto um inseria uma foto e um vídeo no projeto, o outro criava um slide com texto para ser inserido no mesmo arquivo.

As possibilidades de acesso ficam mais amplas com o novo tablet da Microsoft. Trata-se de um modelo desenvolvido pela HP chamado de HP Slate. Sem dar informações relevantes sobre o produto, os executivos exibiram-no como e-book reader e com o Windows Media Player sendo executado. O que era para ser o principal produto da noite acabou ganhando poucos minutos de atenção e, de fato, decepcionou o público.

X-Box com atenção especial e Project Natal

Quem ganhou grande destaque na apresentação foi o X-Box. Robbie Bach, presidente da divisão de entretenimento e acessórios, subiu ao palco para mostrar o set list com os principais lançamentos de 2010: Tom Clancys Splinter Cell: Conviction, Crackdown 2, Mass Effect 2, Alan Wake e Fable 3, além do primeiro DLC de Call of Duty: Modern Warfare 2, cujo lançamento sairá primeiro para o lado verde da força e o esperado Halo: Reach.

Outro ponto que chamou atenção foi o lançamento do Game Room para o X-Box Live. Trata-se de um ambiente interativo onde estarão disponíveis alguns clássicos do mundo dos games. Cada um desses clássicos poderá ser comprado por preços que variam de 240 a 400 Microsoft Points, embora também seja possível jogar apenas uma vez por 40 MS Points.

A integração com outras redes sociais e serviços, como o Twitter, o Netflix e o Facebook também esteve na pauta da Microsoft e experiências como essas devem ser aprimoradas e ganhar mais destaque em 2010.