O Windows Insider, programa de testes da Microsoft que permite aos participantes receberem atualizações dos produtos antes do grande público, tem agora uma comunidade de mais de 10 milhões de usuários.

Lançado em outubro de 2014, o programa teve um crescimento exponencial desde então. Em setembro de 2015, a gigante de Redmond já anunciava que atingia a marca de 7 milhões de colaboradores.

Seguindo o sucesso do programa, a Microsoft está permitindo que seus usuários e fãs testem cada vez mais produtos, incluindo os mais famosos da empresa, como o Office, Skype e Visual Studio. Porém, nem sempre foi assim! Durante o desenvolvimento do Windows 7, tudo aconteceu em segredo, e eram punidas as pessoas que vazavam as primeiras versões do sistema.

Depois de atingir esse número, o vice-presidente corporativo da empresa, Yusuf Mehdi, postou em seu perfil no LinkedIn sobre o feito: "Contamos hoje com mais de 10 milhões de usuários do Windows Insider, muitos deles fãs, que testam e usam a última versão do Windows 10 diariamente. Seu feedback vem mais rápido do que se imagina, eles sabem o que esperam, e isso inspira nossa equipe, norteando o nosso foco todos os dias.”

Com esse programa, os entusiastas da companhia dão feedbacks sobre os programas da Microsoft. Mas, com o crescimento de “testadores”, está cada vez mais difícil para a instituição receber retornos úteis e relevantes dos seus usuários.

O “Feedback Hub”, ferramenta para os usuários enviarem suas impressões sobre o que estão testando, está sendo inundado por opiniões dispensáveis, o que pode ser o maior problema do programa até agora.

O programa da Microsoft parece estar tendo êxito em seus trabalhos, já que com essa grande comunidade de usuários, a empresa permite que seus fãs deem retorno dos produtos que milhões de pessoas usam diariamente.

Cupons de desconto TecMundo: