(Fonte da imagem: iStock)

Desde o anúncio do Windows 8, que vai ter um foco maior nos sistemas baseados em toque e gestos, muitos fãs do mouse e teclado passaram a ficar bastante preocupados. E mesmo que a Microsoft, em resposta à insatisfação dessas pessoas, já tenha deixado claro que pretende dar um jeito para manter a interface agradável para ambos, ainda não há como evitar a sensação de que esses periféricos podem estar para passar por dias difíceis.

Mas, afinal de contas, qual dos dois tem mais chances de “vencer” essa disputa: os velhos mouse e teclado com que estamos tão acostumados ou os novos touchpads com suporte a gestos? A resposta, segundo o The Verge, não está em nenhum deles – pelo menos não da maneira que a maioria das pessoas conhece atualmente.

Meio mouse, meio touch

Diante de duas opções diferentes e igualmente boas, é comum que a maioria de nós acabe querendo ficar com ambas. Por sorte, parece que essa foi exatamente a ideia da Microsoft, já que ela resolveu voltar a apostar nos touch mouses – algo que ela parecia ter desistido depois de algumas tentativas de pouco sucesso.

Wedge Touch Mouse, a nova aposta de mouses da Microsoft (Fonte da imagem: Divulgação/Microsoft)

Para quem não conhece esse tipo de acessório, seu conceito é simples: basta pensar em um mouse que possui uma superfície sensível ao toque, permitindo que ele suporte diversos gestos como vistos nos touchpads. Em resumo, seria algo como “o melhor dos dois mundos”.

Quanto aos teclados, a ideia não seria adicionar o suporte a toque, mas apenas colocar novos botões no aparelho para que ele ganhe todos os comandos principais que normalmente seriam executados com os gestos.

Exemplos dessas ideias já podem ser vistos no mercado. É o caso do conjunto de mouse e teclado Wedge feito pela própria Microsoft, que foi criado especificamente para ser usado no Windows 8.

Novos teclados devem sofrer poucas mudanças em comparação aos atuais (Fonte da imagem: Divulgação/Microsoft)

Há também o caso dos touchpads sem fio, que trazem as vantagens da superfície com a possibilidade de usar o acessório sem estar grudado ao computador. Modelos desse aparelho estão atualmente sendo desenvolvidos especialmente para o Windows 8 de forma a terem suporte aos principais gestos do sistema, como é o caso do Logitech t650.

Pedras no caminho

Com a ideia de misturar ambas as tecnologias, a Microsoft pretende agradar a gregos e troianos; entretanto, isso ainda não vai livrá-la de todos os problemas. O fato é que, com isso, a empresa vai ter que convencer o público a investir em um novo tipo de periférico que deve pesar no bolso de muitos.

Além disso, aquelas pessoas que já haviam apostado na ideia dos touch mouses lançados pela empresa podem ser obrigadas a comprar um novo acessório. Nesse caso, tudo depende da fabricante lançar uma atualização para que o sistema ganhe suporte aos novos gestos do Windows 8: sem eles, seu periférico não vai ter grande utilidade.

Ao menos os acessórios da Microsoft devem receber suporte ao Windows 8 (Fonte da imagem: Divulgação/Microsoft)

Há ainda a questão do aprendizado, que pode se tornar um verdadeiro problema para algumas pessoas. Isso porque, assim como muitos não se veem se acostumando a um sistema completamente baseado em telas de toque, é possível que poucos de nós acabem aprendendo a usar esse novo método de interação com o computador. Caso isso aconteça, esse sistema operacional pode estar fadado ao fracasso.

Será que o público está disposto a mudanças arriscadas como essas? Parece que teremos que esperar os próximos meses depois do lançamento do sistema operacional para descobrir.

Fonte: The Verge

Cupons de desconto TecMundo: