(Fonte da imagem: Reprodução/Windows Team Blog)

Para evitar que softwares maliciosos sejam instalados no Windows 8, a Microsoft criou a tecnologia SmartScreen, capaz de detectar códigos que possam prejudicar o sistema operacional. Porém, a novidade tem despertado certa preocupação entre os especialistas em segurança devido a problemas relacionados à privacidade dos consumidores.

Entre aqueles que veem com desconfiança a novidade está Nadim Kobeissi, que afirma que o recurso envia para a Microsoft dados sobre todos os aplicativos instalados em um computador. Segundo ele, isso permite que pessoas mal-intencionadas explorem falhas no protocolo SSLv2 usado pela companhia, o que possibilitaria ataques remotos a máquinas que possuem a plataforma.

Potencial invasivo

Segundo Kobeissi, apesar de o recurso poder ser desativado durante a instalação do Windows 8, em nenhum momento a empresa de Steve Ballmer esclarece quais as implicações de segurança que isso pode gerar. “Isso coloca a Microsoft em uma situação comprometedora e onisciente sobre os aplicativos usados no sistema operacional, algo que representa uma grande preocupação sobre privacidade”, afirmou.

Rafael Rivera, conhecido por fazer a engenharia reversa de softwares da empresa, tem opinião semelhante sobre o recurso. Segundo ele, embora a empresa não possa ter acesso direto a tudo que uma pessoa baixa e usa, o protocolo de segurança usado nas transmissões das informações pode ser facilmente decodificado usando ferramentas online, o que abre a possibilidade de que elas sejam acessadas por pessoas não autorizadas.

Fontes: Nadim Kobeissi, Within Windows

Cupons de desconto TecMundo: