Em uma atualização publicada na última segunda-feira (23) no blog Building Windows 8, a Microsoft detalhou como pretende usar o poder das GPUs modernas para melhorar o desempenho geral do sistema operacional. Para isso, a empresa expandiu as capacidades de 3 APIs introduzidas com o Windows 7 — Direct 3D 11, DirectWrite e Direct2D — que, além de ficarem mais rápidas, agora podem ser usadas em uma variedade maior de aplicativos.

Segundo a companhia, softwares que se aproveitarem desse recurso vão ganhar um aumento considerável em suas performances. Como a placa de vídeo se torna a responsável por fazer o processamento de informações relacionadas à maneira como as imagens são formadas, isso faz com que a CPU fique livre para desempenhar outras atividades.

Entre os programas atuais que já tiram proveito da aceleração gráfica por hardware estão o Internet Explorer (a partir da versão 9) e o Firefox (a partir de sua quarta versão). O plano da Microsoft é que todos os programas desenvolvidos para a interface Metro utilizem a tecnologia de alguma forma, seja para exibir elementos geométricos simples (linhas e caixas) ou para formar itens baseados em vetores complexos.

Sistema operacional mais veloz

Segundo a empresa, as mudanças feitas no Windows 8 representam uma grande diminuição no tempo necessário para renderizar imagens e textos em 2D. Em comparação com o Windows 7, o novo sistema operacional consegue carregar em um tempo 40% menor um conjunto de 64 imagens.

(Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

O objetivo final dos desenvolvedores é criar um produto que possui um desempenho agradável independente do dispositivo em que ele foi instalado. A Microsoft também promete oferecer controles de energia mais avançados, que vão permitir a exibição de gráficos complexos em aparelhos como notebooks e tablets sem que isso tenha grande impacto no uso da bateria desses eletrônicos.

Fonte: Building Windows 8

Cupons de desconto TecMundo: