A chegada do Windows 10 é mais do que um sistema operacional — ele representa a unificação da plataforma da Microsoft, que une apps, contas e programas sob um mesmo núcleo de funcionamento. Em uma postagem no blog do Windows, a empresa liberou mais detalhes sobre como isso deve funcionar.

A tal convergência significa que o mesmo app rodará no smartphone, no tablet, no laptop, no PC ou no Xbox — desde que os gadgets tenham sistema operacional da Microsoft, claro. Dispositivos como HoloLens, Surface Hub e Raspberry Pi 2 ainda serão incluídos na lista. Se isso parece complicado, a empresa trata de avisar que até mesmo as APIs de desenvolvimento serão simplificadas.

A Microsoft argumenta que decidiu unificar tudo ao perceber que as pessoas não queriam usar somente apps mobile em seus gadgets — a necessidade era de utilizar os mesmos de um computador, porém em qualquer lugar e em algo que cabe no bolso.

Tudo em um mesmo universo

Essa integração de interface não é fácil. Para começar, são tamanhos diferentes de tela, o que exige um layout único que será modificado de acordo com o display. É necessário ainda uma flexibilidade na navegação, já que ela poderá ser feita tanto via mouse ou teclado quanto tela sensível ao toque — isso sem falar de serviços na nuvem e de integrações com a Cortana.

Para desenvolvedores HTML, uma nova engine de renderização (que liberta você de fazer trabalhos específicos para uma plataforma ou outra), o navegador Spartan e aplicativos para web são garantias já confirmadas pela Microsoft.

A empresa garante que, apesar da alta carga de variáveis, todo o trabalho estará facilitado. Mais detalhes serão revelados na conferência Build, que acontece em abril, então fique de olho no TecMundo para mais novidades.

Cupons de desconto TecMundo: