As acusações feitas por candidatos a presidência dos Estados Unidos tem dois pontos polêmicos "principais": Donald Trump e o pagamento de impostos; Hillary Clinton e os emails confidenciais apagados. Há algumas semanas, o WikiLeaks havia comentado que iria revelar os emails secretos de Clinton. Desde sexta-feira, a plataforma de delação vem cumprindo a promessa.

Milhares de emails provenientes da conta de John Podesta, coordenador da campanha de Hillary Clinton, foram vazados pelo WikiLeaks. As mensagens reveladas indicam alterações e definições de posicionamento para angariar mais votos — vale notar que a equipe de Clinton ainda não confirmou a autenticidade das mensagens, mas o coordenador do FBI afirmou que uma equipe está investigando estes desvios de emails.

Hillary Clinton, supostamente, recebia informações privilegiadas da Casa Branca

Entre o conteúdo vazado, que inclui mais de 6 mil emails, é possível notar imposições de pautas feitas pelo gabinete democrata aos veículos de mídia norte-americana, assuntos pessoais (até o receita de risoto pode ser encontrada), trechos e alterações sobre discursos que a candidata realizou para grupos de investidores.

A equipe de Trump, de acordo com o New York Times, já está escavando os emails para contradizer em público as alterações na campanha que foram citadas em emails. Um dos pontos que será focado é a revelação de que Hillary Clinton, supostamente, recebia informações privilegiadas da Casa Branca.
O Partido Democrata, dos EUA, acredita que o WikiLeaks tenha em torno de 50 mil emails. Ou seja: vem mais vazamento por aí.

Se você quiser fuçar pelos emails, basta acessar a conta oficial do WikiLeaks no Twitter para encontrar os links próprios.

Cupons de desconto TecMundo: