Cientistas da Universidade de Washington (UW), nos Estados Unidos, desenvolveram uma nova tecnologia que consegue usar o sinal Wi-Fi emitido por um roteador para recarregar dispositivos eletrônicos à distância. Batizado de Power Over Wi-Fi (PoWiFi), o sistema foi considerado pela revista Popular Science como uma das mais inovadoras tecnologias desenvolvidas em 2015.

O PoWiFi foi mencionado pela primeira vez no começo do ano, quando o time responsável pela pesquisa publicou um artigo online. Lá eles explicaram como conseguiram captar energia transmitida pelo Wi-Fi para carregar um sensor de temperatura, uma câmera de baixa resolução e um carregador para uma das pulseiras inteligentes da Jawbone. A versão final deste artigo deve ser publicada agora em dezembro.

Além de poder energizar dispositivos à distância, a vantagem do sistema é que ele não afeta em nada a qualidade do sinal Wi-Fi convencional. Essa solução pode acelerar o desenvolvimento da Internet das Coisas, uma vez que não seria mais preciso ligar cada aparelho a uma tomada para que todos pudessem se comunicar entre si. A equipe também criou sensores capazes de captar a energia gerada pelo PoWiFi seriam adaptados a cada um, em vez disso.

Canais ociosos

O time de cientistas da computação e engenheiros elétricos da UW descobriu que as emissões de energia geradas por sinais Wi-Fi são muito próximas do necessário para carregar dispositivos de baixo consumo elétrico. Contudo, o sinal era intermitente, o que diminuía a eficácia do carregamento. Eles conseguiram contornar esse problema fazendo com que o sistema envie “pacotes de energia” adicionais através de canais Wi-Fi que não estejam sendo usados no momento.

Nos testes de conceito que eles realizaram, uma câmera VGA Omnivision que registra fotos de baixa resolução em preto e branco foi colocada a 5 metros do roteador e recebeu energia suficiente para realizar uma captura de imagem a cada 35 minutos. Uma smartband Up24, produzida pela companhia Jawbone, teve sua bateria elevada de zero a 41% de carga em duas horas e meia.

O sistema também foi testado em seis residências, e em nenhuma delas os moradores reclamaram de lentidão no carregamento de páginas de internet ou em serviços de streaming. Apesar de os níveis de energia gerados pelo PoWiFi ainda serem relativamente baixos, os seus criadores acreditam que é possível tornar essa tecnologia muito mais robusta e eficiente no futuro, tanto em velocidade quanto em distância.

A sua casa já está conectada pela Internet das Coisas? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: