Ao que parece, o Wi-Fi do futuro não está condenado a hotspots, cafés, domicílios e escritórios. Pelo menos é o que a empresa americana On-Ramp pretende. Com o suporte da tecnologia Ultra-Link Processing (ULP), testes realizados em San Diego conseguiram transmitir sinais a até 70 km de distância.

Mas nem tudo são flores. Para conseguir um alcance tão grande, a troca se baseou em uma equação de velocidade de banda contra distância de sinal. A On-Ramp empregou ondas de baixa intensidade, o que resultou em uma taxa de transferência de apenas 50 bytes por segundo — coeficiente cerca de 20 mil vezes menor do que uma conexão padrão de banda larga a 1 MB por segundo.

(Fonte da imagem: Crunch Gear)

Apesar disso, a utilidade do equipamento pode ser de grande valia para aplicações que trabalham com transmissão de códigos. Em comparação, a estrutura necessária para se cobrir medidas tão amplas usando outros tipos de tecnologia teria um custo muito mais elevado. Quem sabe não é o "começo do fim" da internet movida a cabos e fibra ótica?

Cupons de desconto TecMundo: