Imagem de inFamous 2
Imagem de inFamous 2

inFamous 2

Nota do Voxel
90

A prova de que a diversão pode esconder qualquer problema

Videoanálise

“Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”. A famosa frase eternizada pelo falecido tio do Homem-Aranha já foi utilizada nos cinemas, nos quadrinhos e em vários outros meios e serve como um lema para as ações da maioria dos super-heróis. Afinal, nada mais lógico do que usar um dom para ajudar outras pessoas, não é mesmo?

Para Cole MacGrath, as coisas não funcionam de modo tão poético assim, o que torna a filosofia apenas mais uma ideologia utópica. Afinal, desde que obteve suas habilidades no incidente em Empire City, o personagem aprendeu que o mundo não é tão colorido e bonito como pintado nos gibis.

Prova disso é que, em inFamous 2, o protagonista terá de encarar novamente o preconceito por ser diferente, desta vez em outra cidade. Nesse local, Cole encontrará novos inimigos e aliados, além de uma população para salvar – ou aterrorizar.

Img_normal
O escudo da violência

A trama dá continuidade aos fatos do game anterior e leva os personagens a uma nova cidade, New Marais. Embora os estragos na área sejam menores do que os da metrópole, a situação não é menos caótica. Isso porque uma organização conhecida como Milícia aproveitou a desordem para criar um regime de violência com base no terror para dominar a região.

Esse é um dos pontos que mais se destacam em inFamous 2. Além de termos um mundo aberto para que os jogadores possam brincar à vontade com seus poderes, há todo um pano de fundo envolvendo o preconceito e segregação – algo que ainda marca a região Sul dos Estados Unidos. Isso porque a Milícia está a todo instante promovendo discursos contra os “monstros” poderosos e iniciando uma cruzada contra Cole e os demais “demônios” que invadiram a cidade.

Img_normal
É a partir desse ponto que a principal novidade da série mais se destaca. O sistema de Karma, introduzido no título original, passa a fazer muito mais sentido em um local em que você é hostilizado por ser diferente. Será que vale a pena ajudar as pessoas que o xingam e o apedrejam ou é melhor utilizar seus poderes para alcançar seus objetivos, ignorando a possibilidade de que isso pode ferir alguém?

Em um dilema digno dos X-Men, chegou a hora de colocar suas decisões novamente em uma balança para definir se seus poderes vieram acompanhados com uma dose de responsabilidade ou inconsequência.

Se o primeiro jogo conquistou milhões de pessoas por conta da mecânica inovadora de Karma, inFamous 2 funciona como um aperfeiçoamento da fórmula ao corrigir as falhas de seu antecessor e ao trazer uma aventura renovada e extremamente divertida. Mesmo com algumas falhas e a falta de inovação da desenvolvedora, o título é a prova de que uma jogabilidade envolvente e desafios variados conseguem ofuscar qualquer defeito.

Img_normal
O sistema de edição de fases é a principal novidade, ainda que não consiga empolgar tanto aquelas pessoas que não têm paciência para personalização de níveis. Mesmo assim, a adição serve como forma de estender a vida útil do título, pois sempre existirá uma missão nova para ser completada.

Desse modo, o novo game da Sucker Punch se destaca como um dos melhores exclusivos do PlayStation 3 e fará com que os usuários percam horas explorando todos os cantos de New Marais. Sendo bom ou mau, Cole MacGrath volta para consolidar seu nome de vez no console da Sony.