Imagem de Enslaved: Odyssey to the West
Imagem de Enslaved: Odyssey to the West

Enslaved: Odyssey to the West

Nota do Voxel
86

Quem diria que ser escravizado por uma mulher seria algo tão divertido

Muitos jogadores reclamam que alguns games simplesmente não possuem um nível de dificuldade elevado. “Nossa, esse jogo é muito fácil, que chato”. Eis um comentário que você provavelmente já ouviu — ou quem sabe até disse a alguém. Mas, sejamos sinceros: um jogo não precisa focar seu desafio na dificuldade para ser divertido. Durante esta geração, tivemos várias provas disso.

Depois do primeiro Prince of Persia desta era dos consoles, surgiram alguns títulos nos quais o jogador dificilmente morria durante sua aventura. A mais nova aposta vem diretamente da Ninja Theory, o mesmo time responsável por Heavenly Sword, um dos grandes clássicos do PlayStation 3.

Enslaved: Odyssey to the West é o nome do mais novo game da companhia, que já está causando alvoroço ao redor do mundo. O título consegue criar uma experiência totalmente cativante, graças à sua história e ao excelente trabalho dos atores. Como se não bastasse, Enslaved é uma aventura e tanto. Mesmo com uma fórmula constantemente criticada, o jogo mostra-se como uma boa opção para aqueles que buscam a essência dos jogos eletrônicos: a diversão.

Enslaved: Odyssey to the West é como um filme hollywoodiano. Temos atuações bacanas e cheias de emoção, personagens carismáticos, lutas bem elaboradas, uma relação divertida e é simplesmente impossível interromper a obra enquanto os créditos não rolarem na tela. Infelizmente, é melhor alugá-lo, a não ser que queira ver tudo de volta. Mesmo assim, Enslaved é uma ótima pedida para quem procura entretenimento de qualidade.