Imagem de Capcom Fighting Collection
Imagem de Capcom Fighting Collection

Capcom Fighting Collection

Nota do Voxel
85

Capcom Fighting Collection é um presente para fãs de luta e Arcades

A Capcom tem caprichado bastante nos últimos anos em suas coleções de jogos clássicos, especialmente aqueles que a gente amava ver nos fliperamas nas décadas de 1990 e 2000. A novidade da vez é a Capcom Fighting Collection, que foca em jogos de luta desenvolvidos pela empresa, como o nome já deixa bem claro. O interessante é que há uma mistura bem diversa de títulos, tanto de games que já conhecemos muito bem, como outros que nunca haviam sido lançados fora do Japão antes.

O jogo chega ao PC, Switch, PS4 e Xbox One no dia 24 de junho, só que antes de investir o seu suado dinheirinho em uma coleção que não é das mais baratas, é preciso saber dos benefícios, desvantagens e surpresas que podem te aguardar nesta Capcom Fighting Collection. É claro que a gente te conta tudo isso em nossa análise logo a seguir!

Darkstalkers para dar e vender

A primeira dúvida que muita gente inevitavelmente terá ao ver essa coleção na loja digital da sua plataforma de escolha é bem simples: afinal, o que vem nela? Conforme mencionamos, são jogos de luta que marcaram os arcades na era de ouro da Capcom, o que inclui as franquias Darkstalkers, Street Fighter, Red Earth e Cyberbots: Fullmetal Madness.

No caso de Darkstalkers, esta é a primeira vez que vemos a série completa aqui no ocidente, considerando que os games Vampire Hunter 2 e Vampire Savior 2 nunca tinham saído do Japão. Desta forma, você terá acesso total a Darkstalkers: The Night Warriors, Night Warriors: Darkstalkers’ Revenge, Vampire Savior, Vampire Hunter 2 e Vampire Savior 2. O gameplay pode parecer meio repetitivo já que há cinco jogos presentes, mas é uma série importante que vale muito a pena conhecer mais a fundo e que merecia iterações mais recentes.

Já os fãs de Street Fighter poderão aproveitar Hyper Street Fighter 2: The Anniversary Edition, Super Puzzle Fighter 2 Turbo e Super Gem Fighter Mini Mix. Enquanto o primeiro game citado é nosso velho conhecido, é possível que algumas pessoas ainda não tenham experimentado os outros dois, que contam com mecânicas de puzzle, coleção de gemas e uso de golpes bem diferentões em vez de focar em elementos tradicionais de luta. Pessoalmente, são meus dois favoritos dessa coleção, especialmente por fugirem um pouco do padrão do que costumamos ver em coletâneas deste tipo.

Ainda temos os clássicos mais esquecidos pelo público geral: Cyberbots: Fullmetal Madness (para os fãs de lutas com mechas) e Red Earth, que possui um modo single player bem focado em lutas com chefões e uma narrativa com temática fantasiosa. São adições muito legais e que não esperávamos ver por aqui, até porque Red Earth nunca tinha sido lançado fora dos fliperamas previamente, dando um toque ainda mais especial na Capcom Fighting Collection.

Você pode escolher entre as versões americanas e japonesas dos games com facilidadeVocê pode escolher entre as versões americanas e japonesas dos games com facilidadeFonte:  Capcom/Reprodução 

Um detalhe é que a Capcom optou por exibir exatamente qual ROM é usada em cada jogo, o que você pode checar no menu de seleção de games. Além disso, você ainda pode optar por jogar a versão americana ou japonesa de cada título, algo que não vimos em coleções anteriores da empresa. Só não estranhe quando notar a troca de nomes de Vega para Balrog, Balrog para Bison e Bison para Vega, já que este é o nome original dos personagens no país oriental.

Pessoalmente, achei a seleção de jogos bem eficaz com a proposta da coletânea, mas não nego que gostaria de ter visto outros games que não receberam muita atenção fora dos arcades nos últimos 20 anos, incluindo a trilogia Street Fighter Alpha e o maravilhoso Street Fighter 3: Third Strike, que ainda considero o game mais bonito da franquia de luta. Dá para entender que por estarem na coleção de 30 anos da franquia e pelo Capcom Arcade Stadium Vol. 2 sair no próximo mês, esse não seria o foco da Capcom deste vez, mas nada impedia que pelo menos outros títulos de outras séries fossem adicionadas aqui.

Sem crossplay, mas com um Netcode gostosinho

Sabendo mais sobre os jogos presentes na coleção, temos que destacar os diferentes modos em que você pode aproveitá-los. É possível jogar partidas offline e online de maneira bem fluída, mas infelizmente não há crossplay entre as diferentes plataformas em que a Capcom Fighting Collection foi lançada. Consideramos esse o maior erro dessa coleção, já que esses são jogos de nicho pela idade, então deixar a base de jogadores separadas por console e PC só tornará ainda mais difícil de encontrar pessoas com quem jogar no modo online.

Dito isso, o modo online conta com partidas casuais e competitivas e você pode escolher quantos jogos quiser para entrar na fila de espera. Isso ajuda a encontrar oponentes com maior rapidez, afinal, selecionar apenas um game entre os dez presentes nesta coleção seria muito restritivo. Uma grata surpresa é que o game conta com o Rollback Netcode, um recurso muito usado em jogos de luta recentes e que serve essencialmente para oferecer uma experiência online com um lag bem menor nos movimentos e golpes, mesmo que um dos jogadores esteja com uma conexão fora do ideal. Além disso tudo, você também pode entrar em uma partida offline enquanto espera, tornando sua experiência melhor

É possível jogar com diversos filtros que emulam o visual de telas de TVs antigas e fliperamasÉ possível jogar com diversos filtros que emulam o visual de telas de TVs antigas e fliperamasFonte:  Capcom/Reprodução 

Falando em partidas offline, você pode jogar qualquer um dos games desta maneira sozinho ou com amigos localmente na versão de consoles. A edição da Steam no PC tem a vantagem do recurso Remote Play Together, que te permite convidar um amigo para jogar à distância sem que ele tenha que comprar o jogo, algo que certamente pode facilitar a sua vida se não estiver encontrando jogadores online.

Outro ponto que é importante comentar sobre os games no modo offline é que você pode entrar em uma área de treino nestes jogos, ver sua lista de golpes, mapear botões e selecionar a dificuldade da CPU. Considerando que muitos desses jogos foram feitos para roubar suas fichas com inimigos de dificuldades absurdas, esses pequenos detalhes são muito bem vindos. Além disso, você pode salvar seu progresso e retornar com o carregamento rápido a qualquer momento, então não se preocupe em ter que terminar um game de uma só vez.

Surpresinhas da Capcom

Quando se trata de Capcom, essas coleções nunca trazem apenas jogos aos fãs e a Fighting Collection não é uma exceção desta regra. O game possui uma seção chamada “Museu”, onde você encontrará inúmeras artes oficiais da época de desenvolvimento de cada um dos games, além de uma outra área dedicada apenas às músicas desses títulos. O conteúdo é realmente incrível para quem já conhecia as franquias e também para quem está descobrindo tudo agora.

Os desafios são ótimos para ter alguns objetivos nos games antigosOs desafios são ótimos para ter alguns objetivos nos games antigosFonte:  Capcom/Reprodução 

Há ainda uma parte dedicada a desafios, algo que varia entre jogar uma partida de cada game a utilizar golpes muito específicos de certos personagens. Isso funciona como o sistema de conquistas de tantas plataformas e você até verá a notificação em seu console ou na Steam ao completar cada um. Considerando que o Switch é a única plataforma que não possui um sistema de conquistas, é legal ter esse menu separado mostrando esses objetivos no console da Nintendo. Essa pode ser uma adição padrão em muitos games, mas serve para te dar alguns objetivos divertidos para cumprir em games que não possuem tanta variedade de gameplay.

Algo que muitos podem apreciar é a quantidade de opções para os visuais. Você pode escolher o formato da tela, que tipo de arte verá nas bordas verticais e se gostaria de usar alguns dos filtros que emulam as linhas de displays antigos de TVs e máquinas de fliperama. É claro que dá para jogar com a imagem limpa, mas é bem legal ter essa opção quando bater a nostalgia pelo visual retrô.

Vale a pena?

No geral, a Capcom Fighting Collection é uma adição muito sólida dentre essas coletâneas que a empresa vem lançando ao longo dos anos, mas há um ponto que pode assustar alguns jogadores: o seu preço. Assim como outros games deste tipo da Capcom, o valor é salgado e pode não valer a pena se você não for um grande fã da maioria dos games selecionados. Ainda assim, fica a nossa sugestão de pelo menos considerá-lo quando avistar uma promoção.

Dizemos isso porque, fora o valor, é muito difícil de não recomendar esse pacote para fãs de jogos de luta, especialmente aqueles que sempre quiseram experimentar alguns títulos inéditos. O gameplay é ótimo, não há lag nas partidas online, há muitos extras e recursos de qualidade de vida em comparação com coleções anteriores da própria companhia.

Por isso, pode pegar o controle ou o seu Arcade Stick sem medo e aproveitar esses clássicos do fliperama sem sair de casa! Só não vale dar uma de apelão e ficar soltando Hadoukens sem parar, né!


Pontos Positivos
  • Fácil de jogar offline e online
  • Possui versões japonesas e americanas de cada jogo
  • Há excelentes bônus de arte e músicas para os fãs
  • Conta com Rollback Netcode para partidas online
  • Coleção primorosa de jogos, com títulos pela primeira vez fora do Japão ou dos fliperamas
Pontos Negativos
  • Não há crossplay entre plataformas
  • Seu preço é salgado nas lojas brasileiras
  • Poderia ter mais alguns jogos que não vimos tanto fora dos arcades