Os itens e bônus que fizeram história no mundo dos games.

11 min de leitura
Imagem de:  Os itens e bônus que fizeram história no mundo dos games.
Avatar do autor

Não interessa se você é um jogador assíduo de longa data (que está no mundo dos games desde a década de 1980) ou se começou a explorar os territórios virtuais recentemente. A realidade é que de uma forma ou de outra você já deu de cara com algo que aumentou a força do seu personagem por alguns instantes.

Estamos falando dos Power-Ups, presentes na maioria dos games, de ação e aventura até os tradicionais Puzzles. Eles podem aparecer como medalhões ou penas, além de serem encontrados em baús, liberados pelos inimigos ou serem destravados mediante alguma ação.

No especial de hoje nós relembraremos alguns dos mais marcantes, incluindo a famigerada invencibilidade, aumentos de poder de ataque e até mesmo transformações do herói em bestas infernais. Com a introdução ao tema fora do caminho, vamos aos astros da nossa brincadeira!

Os grandes ícones

Alguns exemplos clássicos de Power-Ups que você já deve ter visto

Para darmos início ao nosso especial de hoje, nada melhor que o mitológico Altered Beast, produzido pela SEGA durante a década de 1990. No game você controlava um fortão que buscava salvar a sua amada das garras de um senhor das trevas, encontrando uma penca de zumbis, serpentes, olhos voadores e feras pelo caminho.

Os Power-ups eram liberados dos corpos de porcos azuis (com duas cabeças, ainda por cima) que vinham saltitando em sua direção. Cada uma das esferas aumentava um pouco a sua constituição física, até o terceiro estágio, momento em que você se transformava em uma besta — sendo um tipo por fase, dentre lobisomens, dragões, ursos...

Mas o que mais chama a atenção é a voz do narrador antes da animação da transformação bestial: ele solta um sonoro grito, dizendo “POWER-UP”! Para matar as saudades — ou conhecer como eram as coisas nos tempos do Mega-Drive — não deixe de clicar sobre o vídeo abaixo:

Cogumelos e outras armas da natureza

O quê?! Calma pessoal, estamos nos referindo ao grande pop-star da Nintendo: Mario. Parem e pensem por um instante: existe no mundo dos jogos algum protagonista que se deparou com tantos Power-Ups em sua existência? Se você tem dúvidas quanto a isso, aí vai uma relação resumida dos itens mágicos que ele encontra pela frente.

Comecemos com o tradicional cogumelo vermelho e branco, existente desde Super Mario Bros para NES. Você aumentava de tamanho, podia esmagar inimigos diferenciados e ainda ganhava resistência contra um ataque. Em New Super Mario Bros. a viagem foi maior ainda, uma vez que Mario pode comer uma variação gigante do item e sair pisoteando e quebrando tudo o que encontra pela frente.

Após as variações pequenas, de gelo e da flor (que o habilita a disparar bolas de fogo pela ponta dos dedos) chega finalmente a vez dos animais. As coisas começaram com a roupa de Tanuki (um tipo de cão asiático) que permite ao encanador flutuar por um curto período de tempo.

Depois tivemos pinguins e abelhas — presentes em Super Mario Galaxy para Wii. Ainda pelo caminho dessa jornada ficaram penas para voo, cogumelos verdes que aumentam o número de vidas, chapéus que o tornam invencível e outros artefatos variados. Para derrotar o vilão Bowser realmente vale de tudo!

Contra todos e contra tudo

Partindo para o lado mais violento da história (mais ainda sem abandonar o gênero de plataforma) caímos direto nos territórios de Contra. Para quem não teve contato com a série, basta imaginar um herói ao estilo Rambo, que tenta penetrar as bases inimigas “na raça”. Com uma verdadeira chuva de inimigos e de disparos vindo em sua direção, qual poderia ser a melhor coisa a surgir na tela?

Um Power-up, é óbvio! E Contra tinha muitos deles. Os principais e mais desejados eram aqueles que expandiam o número de balas disparadas por você (chamados de Spreaders), seguidos dos que aumentavam a densidade do disparo.

Mas a verdade é que praticamente todos os jogos no mesmo estilo procuraram seguir a fórmula. Outros exemplos incluem Sunset Riders (de faroeste, lançado no Super Nintendo pela Konami) e a popular série Metal Slug, disponível em uma infinidade de plataformas. Como de costume, morrer significa perder todas as vantagens obtidas com os Power-Ups.

Escudos e invencibilidade para o porco espinho

Sonic foi uma das séries que mais se modificou ao longo dos anos. O começo simples tomou rumos estranhos, partindo para o mundo tridimensional sem obter nem uma fração do sucesso que recaiu sobre Mario e o lado Nintendo das coisas. Mas deixando o fracasso de lado e retomando as raízes, vemos mesmo no primeiro Sonic uma série de Power-Ups.

Eles eram coletados quando o jogador quebrava os monitores (inspirados nos antigos Macs), fosse pulando ou rolando. Os que mais merecem destaque são os de invencibilidade, que atuavam praticamente como um aviso do tipo “corra sem parar em direção ao fim da fase”. A diversão ao ver os inimigos estourando era garantida!

O escudo de proteção e a bota de velocidade tiveram papéis mais secundários na jornada. Foi com a chegada do terceiro episódio no Mega-Drive que Sonic passou a ter outras habilidades (graças aos escudos), tais como flutuar pelo ar em forma de bola de fogo ou ainda respirar debaixo da água.

Pegadinha!

Mas nem só de itens bons era feita a vida de Sonic. Algumas das caixas continham a figura de Robotnik (Dr. Eggman) e, se estouradas, ou matavam o jogador ou faziam com que ele perdesse todos os anéis.

O mais curioso é que Sonic não foi o primeiro a adotar a técnica. Dois exemplos que chegaram antes ao mercado são Super Mario Bros. 2 e Alex Kidd. No caso do herói da Nintendo, havia um cogumelo mais escuro que o envenenava. Você ia pensando que se daria bem, mas acabava com uma vida a menos.

No caso do clássico para Master System (que vinha inclusive na memória dos aparelhos originais lançados aqui no Brasil pela Tec-Toy) a morte vinha em uma caixa — como todas as outras espalhadas pelas fases — que continha a inscrição de caveira. O problema é que acima e abaixo delas outras caixas de interesse o aguardavam... Uma verdadeira armadilha!

Trapaças em alta velocidade

Enquanto simuladores de corrida praticamente massacram os jogadores, obrigando-os a dominar a entrada do carro em cada curva, os jogos com uma pegada mais “Arcade” divertem com jogabilidade simplificada e uma série de artimanhas. O melhor exemplo disso é Mario Kart, lançado em muitas plataformas.

Os Power-Ups podem ser coletados ao longo da pista (geralmente encontrados sob a forma de losangos). O melhor de todos? Mais uma vez a invencibilidade... Com ela basta passar literalmente por cima dos outros corredores. Depois temos o turbo, para aquela acelerada final!

O turbo (também chamado carinhosamente de “Nitro” por alguns), aliás, está presente em um monte de jogos de corrida. O novo Need for Speed World é o mais recente exemplo, ao lado de Blur e de outros títulos que levam a brincadeira rumo à destruição dos cenários e dos outros personagens.

Espaço: a fronteira final

É difícil encontrarmos alguém que não tenha tido o prazer de jogar Gradius ou R-Type. Nestes games de naves o deslocamento era horizontal, com uma chuva de alienígenas se aproximando em sua direção. Com o tiro inicial (de uma “bolinha” por vez) é que você não teria chance de escapar com vida, portanto a sua salvação reside uma vez mais nos Power-Ups, agora obtidos das pequenas cápsulas que saltam pelos cenários.

De um modo geral, os tiros são acompanhados de três níveis de força, que sobem a cada cápsula coletada. O problema é que é preciso coletar três de mesma cor para manter a força, caso contrário todo o seu esforço irá pelo ralo. Imagine que você está desenvolvendo o tiro vermelho e pega um azul por acidente na hora do chefe... É hora de dar tchau amigo!

A festa pela carnificina

A fórmula dos jogos multiplayer de tiro em primeira pessoa é bem padronizada, envolvendo geralmente alguns kits médicos espalhados pelo cenário, ao lado de armas poderosas que garantem a vantagem aos que conhecem cada curva da fase. Mas a série Unreal foi adiante, colocando em cena o item “UDamage”.

Ele fazia a arma do usuário brilhar diferenciadamente por alguns segundos. Para os oponentes isso significava claramente que era hora de correr, pois eles morreriam com quase qualquer disparo. A questão é que o UDamage amplifica o dano, fazendo você subir rapidamente nos rankings.

O clássico dos clássicos

Tudo bem, depois de tanto ganho de força e de tanta loucura nós damos mais um salto ao passado, para trazer até vocês o melhor de todos os Power-Ups: os comprimidos gigantes de Pac-Man, chamados de Power-Pellets.

Ele invertia totalmente a situação, fazendo com que os fantasmas (antes intocáveis, loucos para agarrá-lo) começassem a correr, já que você tinha a capacidade de digeri-los por alguns instantes. Eles inseriam estratégia nas partidas, de forma que os jogadores deviam dosar a velocidade com a qual partiam em busca da ajuda do item.

Bons tempos...

Evoluindo aos poucos

Em algumas situações a melhoria é definitiva...

Enquanto levantávamos os tópicos necessários para a construção deste especial nos deparamos com um impasse na redação: não seriam os Power-Ups apenas aqueles relacionados à coleta de itens que afetam exclusivamente o personagem, ainda mais por um curto e determinado período de tempo?

É verdade, este é o propósito original desses companheiros que nos auxiliam em nossas histórias com video games desde o início, mas é inegável que a aplicação de Power-Up vem sendo expandida para outras fronteiras. Os títulos mais recentes tratam o termo como válido para qualquer aumento de força do personagem e de suas armas, mesmo que tais transformações sejam permanentes.

Pegando carona nesta onda, nós aproveitamos e mostramos algumas das “melhorias” de personagens que mais gostamos.

A saga de Drácula

Começando por Castlevania: Symphony of the Night podemos traçar um paralelo com a síndrome dos jogos de nave: a da possível perda do item desejado por acidente. É o que acontece muitas vezes com a arma auxiliar, que pode ser mudada involuntariamente quando você toca em outra por acidente (perder a pistola de raios para pegar a água benta não era agradável).

Mas se o tema é poder permanente, nada melhor que a névoa em sua forma envenenada. Depois de pegar a relíquia que permitia essa transformação bastava apertar um botão e trafegar tranquilamente por espinhos, chefes e caveiras, sem tomar dano e sem qualquer preocupação. Isso é que é vida hein Alucard?

Mais corações = Mais energia

Um dos grandes símbolos da série Zelda é o marcador de vida, em forma de corações. Para expandir a energia de Link era necessário buscar os grandes corações, espalhados por baús, buracos no chão ou até mesmo perdidos dentro dos corpos dos chefes derrotados ao longo do caminho.

Botas e tiros compõe o cardápio do dia

Em termos de itens que são integrados ao inventário ou ao personagem do game ao longo da narrativa, nenhuma franquia consegue superar MegaMan. Desde os tempos do NES o robô azul já ganhava uma arma diferente com cada chefe derrotado, que servia para atacar os pontos fracos dos remanescentes.

Mas foi com a série X que as coisas ficaram ainda mais interessantes. MegaMan passou a contar com o apoio do Dr. Light, que espalhou uma série de cápsulas pelos estágios. Os destaques são a bota (que permitia deslizamentos aéreos e fornecia impulso para plataformas distantes) e para a armadura aprimorada, que corta o dano recebido pela metade!

Até mais, Deus da Guerra!

Ao fim desta seção só haverá o Caos! O motivo é simples: falaremos de Kratos e suas lâminas! Em God of War III o guerreiro finaliza a sua saga em grande estilo, em grande parte devido à presença de novas armas, que podem receber um “Power-Up” com o sacrifício das almas que você coleta.

A nossa favorita foi a obtida após a luta contra Hades e razões não faltam para isso. Em primeiro lugar, ela fornece a você total controle sobre as almas, de forma que um ataque solta três caveiras que o protegem e engolem os inimigos. Se isso não é o bastante, ainda existem os ataques especiais, com os quais Kratos libera sua fúria e faz as pontas e correntes dançarem pela tela, enquanto os inimigos voam para todos os cantos. O resultado é fenomenal!

Embalos momentâneos

Acertou? Ganhou? Levou!

O especial de hoje está se aproximando do fim, mas ainda temos mais uma classe de Power-Ups pela frente. Se a ideia é aproveitar até mesmo o que não vem de itens, então seguimos para a nossa próxima categoria de entretenimento pelo poder, que são os aumentos de habilidade temporários, concedidos por condições especiais de partida.

Enterradas insanas

Um grande jogo da era 16-Bits está quase aterrissando — com um visual completamente remodelado — no Wii. Estamos falando de NBA Jam, que será lançado ainda durante este ano. Na versão anterior o jogador que conseguisse fazer três cestas seguidas ganhava direito à bola de fogo. Este tremendo Power-Up não só aumentava a sua velocidade, mas como também garantia quase total chance de acerto para os lances, até mesmo da metade da quadra!

Na pele das estrelas do Rock

Assumindo o posto do guitarrista da banda em Guitar Hero, praticamente todos os jogadores passaram os estágios musicais atentos, buscando pelas notas em formato de estrelas, tentando não errar nenhuma da sequência. Todo esse esforço é justificado pelo Star Power, uma “apelação” momentânea que dobra o seu multiplicador.

Nas partidas single player o bom uso dessa ferramenta é a clara diferença entre a vida e a morte, em meio a um solo alucinado de bandas como Dream Theater. Já nas partidas multiplayer o Star Power serve para que você alcance o oponente ou o humilhe por completo. Aí vai da habilidade de cada jogador...

3D Space Cadet

Se você teve um computador com Windows 98 ou Windows XP, é impossível que não tenha jogado um dos “Pinballs” mais populares de todos os tempos. O jogo era simples, mas a mesa viciava em questão de instantes graças às diversas missões disponíveis. Um dos Power-Ups mais desejados era o de inversão de gravidade, que praticamente impedia que a bola caísse pelo centro das pás.

Ufa, quanta coisa não! Mas apesar da grande parede de texto, temos certeza de que todos vocês devem ter se identificado com alguns dos Power-Ups mostrados no especial. Com toda a certeza, faltaram muitos exemplos (incluindo InFamous, que foi usado como chamada para a matéria).

Mas agora cabe a vocês listar quais são os grandes itens de aumento de força, além é claro dos mais inúteis, bizarros e divertidos. Até a próxima e um ótimo fim de semana a todos os leitores!