Análise em progresso: FIFA 16 traz um ritmo mais cadenciado à série

2 min de leitura
Imagem de: Análise em progresso: FIFA 16 traz um ritmo mais cadenciado à série
Avatar do autor

Há mais de uma década, a Electronic Arts mantém a tradição de realizar uma atualização anual daquela que hoje figura entre suas maiores séries. Com FIFA 16, a companhia repete essa história e investe em diversos ajustes que, embora sutis, resultam em um game um tanto diferente de seu antecessor direto.

Tive a oportunidade de testar o jogo durante algumas horas, o que permitiu ter uma impressão um pouco superficial do que ele traz em matérias de novidades. Além de apostar em times femininos, o novo capítulo da franquia esportiva apresenta uma série de mecânicas ajustadas de forma a mudar um pouco o ritmo das partidas.

Ritmo que exige estratégia

Quem está acostumado com a correria de FIFA 15 vai sentir certa estranheza ao entrar nos gramados virtuais do novo game. Embora jogadores habilidosos ainda consigam vencer seus adversários durante as corridas, eles não possuem mais tantas vantagens nesse sentido, o que contribui para trazer mais equilíbrio às partidas.

Apesar de a mudança de ritmo ganhar destaque, as novidades mais notáveis ficam no campo das animações. A EA Sports investiu em novas possibilidades de dribles e movimentações, além de refinar certos movimentos que pareciam um tanto robóticos — a opção de “cercar” adversários no modo de defesa é a que mais se beneficia disso, visto que agora os jogadores se movimentam de forma bem mais realista e fluida.

Na prática, isso significa um desenvolvimento de partidas que exige o uso de novas estratégias. Enquanto os lançamentos perderam um pouco de sua efetividade graças à diminuição do poder de corrida de alguns atacantes, os toques surgem como uma alternativa mais viável de fazer a bola rolar graças a companheiros que parecem mais inteligentes e capazes de acompanhar os movimentos do jogador controlado.

De olho nos detalhes

Com FIFA 16, a Electronic Arts mantém sua tradição de tentar retratar com a maior fidelidade possível uma transmissão esportiva de primeira categoria. Embora muitos jogadores tenham o costume de pular as cenas de transição de uma partida, vale a pena conferi-las ao menos uma vez para notar o nível de detalhes nos quais a empresa trabalhou.

Ao bater um tiro de meta, por exemplo, agora a câmera do jogo exibe o goleiro (ou a goleira) se preparando e tomando distância para realizar o chute. As faltas também ganharam mais detalhes, com direito ao famoso spray que delimita a barreira e a área onde a bola deve ficar — efeito que vai de desgastando conforme a partida prossegue.

Para completar, a EA Sports também apostou em novos modelos de personagens, alguns dos quais possuem uma quantidade notável de detalhes adicionais. Rostos famosos são os que mais se beneficiam disso, ganhando detalhes como tatuagens (preste atenção no braço de Messi) que não eram vistos nos lançamentos anteriores.

Análise com vídeo em breve

Infelizmente, até o momento não tivemos acesso aos modos online de FIFA 16, o que tornaria incompleta qualquer análise liberada no momento atual. No entanto, ao menos em uma visão superficial, o novo título da EA Sports deve agradar quem é adepto da série, embora a maioria das mudanças adotadas seja bastante sutil.

Na próxima semana, o TecMundo Games vai publicar uma análise completa do game de esporte que rivaliza com Pro Evolution Soccer pela preferência dos fãs do esporte bretão. Enquanto nossa opinião não é publicada, aproveite a seção de comentários do site para conversar sobre suas expectativas e impressões em relação ao novo game da série.

Análise em progresso: FIFA 16 traz um ritmo mais cadenciado à série