Battlefield passa por mudanças internas preparando jogos futuros

1 min de leitura
Imagem de: Battlefield passa por mudanças internas preparando jogos futuros
Imagem: EA

No começo do mês a gente noticiou que a EA estava querendo criar um universo compartilhado de Battlefield, e agora a produtora começou a fazer várias mudanças internas para corrigir o curso depois de Battlefield 2042 ficar aquém das expectativas dos fãs, em grande parte graças aos seus bugs e falta de recursos.

Como noticiado em ampla reportagem do site Gamespot, o Gerente Geral da DICE, Oskar Gabrielson, está deixando a empresa, e em seu lugar entra Rebecka Coutaz, antiga diretora de estúdio da Ubisoft Annecy. Já Vince Zampella, da Respawn, foi promovido a chefão de Battlefield. Em sua nova fase, a franquia receberá vários jogos feitos por múltiplos estúdios dos EUA e Europa, todos interligados.

Marcus Lehto, o antigo designer de Halo, agora coordena uma nova equipe em Seattle cuja missão é trazer mais elementos narrativos para a série FPS da EA, além de trabalhar em conjunto com a Ripple Effect para melhorar a experiência de Battlefield 2042. A Ripple Effect, por sua vez, fez o modo Portal e também está criando uma experiência inédita no universo de 2042.

Apesar de não contar com um modo campanha, o mais recente jogo da série deve ser agregado a novas experiências que criarão "oportunidades para contar mais histórias agora e no futuro também", de acordo com Byron Beede, veterano de Call of Duty que foi contratado para melhorar as decisões de negócios no longo prazo para Battlefield.

Ainda não temos informações concretas sobre os próximos jogos e lançamentos da série, mas Andrew Wilson, o CEO da EA, também disse estar aberto às possibilidades de explorar o mercado free to play. Antes disso, a ideia geral é garantir que 2042 conte com a melhor experiência online possível, criando uma boa fundação para desenvolver um universo ao redor.

O que você achou dos planos da EA para a franquia? Comente a seguir!