Activision Blizzard cria comitê para combater cultura de assédio

2 min de leitura
Imagem de: Activision Blizzard cria comitê para combater cultura de assédio
Imagem: Activision Blizzard/Reprodução
Avatar do autor

O Conselho de Administração da Activision Blizzard anunciou a criação de um "Comitê de Responsabilidade no Local de Trabalho", com o objetivo de acompanhar as mudanças na cultura da empresa. A decisão foi tomada em resposta à crise de relações públicas que a produtora enfrenta desde julho deste ano, quando foi processada pela acusação de permitir assédios constantes no ambiente de trabalho.

Inicialmente, o comitê será composto de dois diretores independentes do próprio conselho da Activision. Sua presidente será Dawn Ostroff, que é diretora independente do conselho da empresa desde 2020 — além de ser diretora de conteúdo e de publicidade corporativa do Spotify.

Ela estará acompanhada de Reveta Bowers, que atua como diretora independente desde 2018 na companhia. Antes disso, ela trabalhou por 44 anos como professora e administradora da escola primária The Center for Early Education.

Dawn Ostroff presidirá o comitê (Fonte: nrkbeta/Reprodução)Dawn Ostroff presidirá o comitê (Fonte: nrkbeta/Reprodução)Fonte:  nrkbeta/Reprodução 

Conselho promete que comitê vai "eliminar todas as formas de assédio e discriminação"

De acordo com o Conselho de Administração, o comitê vai acompanhar "o progresso da empresa na implementação bem-sucedida das suas novas políticas, procedimentos e compromissos para melhorar a cultura do local de trabalho e eliminar todas as formas de assédio e discriminação".

Uma das metas será exigir que os gerentes e executivos desenvolvam indicadores de desempenho ou outras maneiras de medir o progresso nessa área. Eles também deverão garantir que os agressores sejam responsabilizados por suas ações.

Trabalhadores da Activision Blizzard assinaram petição exigindo renúncia do CEO

Um grupo chamado ABK Workers Alliance, composto por trabalhadores da Activision Blizzard, criou uma petição exigindo a renúncia do CEO da companhia, Bobby Kotick.

O executivo disse que considera sair caso "não consiga consertar rapidamente os problemas da cultura da companhia". A petição já ultrapassou a marca de 1.800 assinaturas até o momento.

Acionistas e parceiros comerciais também pedem pela saída de Kotick

Quem também pediu pela saída do diretor-executivo foi um grupo de acionistas da produtora, liderado pelo SOC Investment Group. Uma reportagem publicada pelo The Wall Street Journal na semana passada reacendeu o interesse público no caso.

Isso porque ela trouxe relatos de que o Bobby Kotick sabia das acusações de assédio sexual há anos, e não teria feito nada para mudar essa cultura.

A onda de denúncias afetou até as parcerias comerciais da Activision Blizzard. O chefe do Xbox, Phil Spencer, revelou que está reconsiderando sua relação com a produtora. Já Jim Ryan, do PlayStation, disse estar desapontado com a situação. Finalmente, Doug Bowser, da Nintendo, classificou o episódio como "perturbador".