Executivo da EA admite que crianças não deviam fazer compras no FIFA

1 min de leitura
Imagem de: Executivo da EA admite que crianças não deviam fazer compras no FIFA
Imagem: EA

As caixas de loot são uma das mecânicas de microtransações mais conhecidas - e questionadas - no mundo dos jogos. Não é à toa que a EA sempre está se esforçando para defender o recurso, principalmente em seu jogos que atraem jogadores jovens também, como FIFA Ultimate Team (FUT).

A defesa mais recente veio de Chris Bruzzo, CXO da EA, que concedeu uma entrevista à Eurogamer. Na conversa, o executivo falou sobre infames caixas de loot, defendendo completamente o recurso, dizendo que ele acrescenta à diversão do game e que, na verdade, foi criado para refletir a dinâmica do mundo real da contratação de jogadores e deixar o jogo mais divertido.

"Nós criamos essas coisas ao longo de um grande período de tempo para realmente espelhar como é o sentimento, as escolhas estratégicas difíceis que você tem que fazer quando está criando um time que funciona da maneira tão única quanto o time que você quer gerenciar, com o qual você quer jogar." - declarou Bruzzo.

Uma das principais críticas contra esse tipo de mecânica é o tanto que ela se assemelha a jogos de azar e apostas, algo reconhecidamente viciante e com acesso controlado no mundo todo, inclusive de muitas formas proibido. Bruzzo jamais admitira que o sistema de FUT se assemelha a um jogo de azar, mas reconheceu que não deve ser usado por crianças. - "Crianças não deveriam estar gastando no nosso jogo. Crianças não deveriam gastar no FIFA."