Milhares de PS4 Pros estavam 'minerando' FIFA, não criptomoedas

1 min de leitura
Imagem de: Milhares de PS4 Pros estavam 'minerando' FIFA, não criptomoedas

No início da semana passada, uma notícia de que milhares de PS4 Pros estavam sendo usados para minerar criptomoedas ilegalmente na Ucrânia deu o que falar - e também o que se duvidar. Agora, uma investigação mais aprofundada do site Delo chegou à conclusão que os consoles ali estavam mesmo usados para fazer dinheiro, mas não com criptomoedas, e sim com FIFA Ultimate Team (FUT).

Para começar, a nova estimativa é de que seriam cerca de 3.800 vídeo games, e não mais de 5 mil, como previamente reportado. Em algumas imagens divulgadas pela SBU, responsável pela invasão ao galpão onde estavam os PS4 Pros e apreensão deles, dava pra ver discos do FIFA saindo de alguns dos aparelhos, e aí começou a suspeita.

Destaque (feito pelo Delo) dos discos de FIFA nos consolesDestaque (feito pelo Delo) dos discos de FIFA nos consolesFonte:  Delo 

O Delo diz que suas fontes confirmam que os PS4 Pros no galpão estavam sendo usados para jogar FUT automaticamente para obter suas cartas e depois vendê-las. Ou as próprias contas onde as cartas foram conquistadas também costumam ser vendidas em mercados paralelos.

A operação continua sob suspeita de ter roubado energia, o que mantém a instalação na ilegalidade. Mas a nova explicação corrobora com uma reclamação feita pela Blockchain Ukraine logo que a notícia começou a ser divulgada. A organização acusa a SBU de "perseguir" quem minera criptomoedas, e chega a dizer também que esse órgão das autoridades ucranianas apreende equipamento sem devidas justificativas legais.

Milhares de PS4 Pros estavam 'minerando' FIFA, não criptomoedas