Funcionários criticam fala da Activision Blizzard sobre assédios

2 min de leitura
Imagem de: Funcionários criticam fala da Activision Blizzard sobre assédios
Imagem: Wikimedia Commons/Dinosaur918
Avatar do autor

O caso do processo contra a Activision Blizzard após uma série de denúncias de assédio ganhou mais um capítulo.

Motivado pela resposta oficial da corporação, um grupo composto por cerca de mil atuais e ex-funcionários da desenvolvedora assinaram uma carta que reforça os pontos da denúncia original e critica a manifestação da companhia. Segundo a Bloomberg, o documento começou a circular a partir desta segunda-feira (26) e rapidamente ganhou adesão.

A Activision Blizzard chamou as acusações de "descrições distorcidas e, em muitos casos, falsas do passado da Blizzard", o que enfureceu ainda mais alguns colaboradores. O escritório da Blizzard, que fica na cidade californiana de Irvine, teria sido o local em que a maior parte dos atos de discriminação ocorreram. Além de questões de assédio moral e sexual, os depoimentos citam a formação de uma cultura de trabalho com base em comportamentos tóxicos e comentários depreciativos sobre colegas.

O que diz a carta?

Segundo o documento, os funcionários chamam as respostas da empresa e da executiva Frances Townsend "abomináveis e insultantes a todos que acreditam sobre o que nossa companhia deveria representar". A carta ainda cita que o valor dos empregados "não é refletido com precisão nas palavras e ações da liderança".

A declaração contra as acusações teria criado uma "atmosfera de descrédito em vítimas e põe em dúvida a habilidade da organização em punir os abusadores por suas ações e criar um ambiente seguro para que vítimas se manifestem no futuro". Os funcionários ainda dizem não acreditar na promessa de que medidas seriam tomadas, já que o próprio processo original foi tido como "irresponsável e sem mérito" pela empresa.

Contratada em março deste ano, Frances chamou o processo de "factualmente incorreto, velho e fora de contexto".Contratada em março deste ano, Frances chamou o processo de "factualmente incorreto, velho e fora de contexto".Fonte:  Wikimedia Commons 

O documento traz ainda uma série de demandas, começando por declarações oficiais que reconheçam a seriedade das alegações, além de compaixão pelas vítimas. Além disso, há o pedido para que Townsend deixe o cargo que exerce na organização ABK Employee Women’s Network pela "natureza danosa de sua declaração" e que os executivos trabalhem ao lado dos funcionários para construir novos esforços para melhorar o ambiente na empresa.

"Nós nos colocamos ao lado de todos os nossos amigos, parceiros e colegas, assim como membros de nossa dedicada comunidade, que tiveram experiências de maus tratos ou assédio de qualquer tipo. Nós não seremos silenciados, nós não seremos deixados de lado e não vamos desistir até que a companhia que amamos seja um local de trabalho em que todos possamos nos orgulhar de fazer parte novamente. Nós seremos a mudança", finalizam os signatários.