Programadores ‘quebram’ limite de mineração da RTX 3060 para Ethereum

1 min de leitura
Imagem de: Programadores ‘quebram’ limite de mineração da RTX 3060 para Ethereum
Imagem: Nvidia/Reprodução
Avatar do autor

No que aparenta ser mais uma notícia ruim para a Nvidia, programadores conseguiram “quebrar” o limite de hashrate que a RTX 3060 deveria possuir. Várias fontes diferentes publicaram, nos últimos dias, que já é possível burlar as barreiras da peça na mineração da criptomoeda Ethereum.

O site japonês PC Watch, por exemplo, informou que a GPU, que foi lançada há poucas semanas, já está minerando a moeda virtual com velocidades de 48 MH/s. Para se ter uma ideia, a placa deveria limitar esse número para cerca de 20 MH/s ou 25 MH/s.

Informações semelhantes foram publicadas por veículos como ComputerBase e HadwareLuxx. Eles chegaram, inclusive, a divulgar fotos mostrando a placa fazendo o trabalho de mineração acima dos limites que ela deveria possuir.

RTX 3060

A Nvidia havia se comprometido com a eficiência do sistema. Ainda em fevereiro, o chefe de Comunicação da companhia, Bryan Del Rizzo, afirmou no Twitter que a RTX 3060 uniria soluções de driver, BIOS e hardware para impedir a remoção do limitador de hashrate.

Más notícias

Essa foi a segunda notícia recente sobre quebra na configuração da placa de vídeo. Na semana passada, foi noticiado que programadores chineses haviam dobrado a taxa de mineração da GPU a partir de um mod. Na ocasião, porém, foi explicado que a “fraude” foi utilizada para minerar criptomoedas como a Octopus, cujo bloqueio da GPU teoricamente não está habilitado para funcionar.

A Nvidia tem lutado contra essa prática de utilização de placas de games para mineração porque esse movimento tem gerado escassez e alta nos preços mundo afora. Para tentar fazer com que os entusiastas das moedas virtuais deixem de lado as placas convencionais, a empresa chegou a lançar um produto específico.