A Justiça decidiu que uma ex-funcionária da operadora Vivo deverá receber uma indenização, no valor de R$ 50 mil, por ter se recusado a mentir para os clientes. A atendente não teve o seu nome divulgado. Cabe recurso à decisão e, à Info, a operadora informou que cumprirá a legislação, mas vai buscar no amparo da lei algo que possa reverter a decisão.

Segundo relatos, a empresa solicitou que os atendentes priorizassem a contratação de planos pós-pagos, informando aos clientes que o sistema de planos pré-pagos estava indisponível. Por não aceitar mentir para os clientes, a atendente, que chegou até mesmo a vender os planos “proibidos” normalmente durante o período, foi hostilizada pelos colegas de trabalho.

De acordo com o juiz Marcos Fagundes Salomão, da 3ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região do Rio Grande do Sul, o caso gerou ansiedade e estresse à atendente, que precisou ser afastada do trabalho por algumas semanas e foi demitida de sua função ao retornar. A Vivo terá que pagar indenização por danos morais e 12 meses de salário relativos à doença ocupacional causada.

Cupons de desconto TecMundo: