Visitas presenciais são cada vez menos frequentes em presídio dos Estados Unidos. (Fonte da imagem: Thomas Hawk)

Quando se fala que a tecnologia pode ajudar a encurtar distâncias, muita gente desconfia, mas o fato é que muitas pessoas levam isso bem a sério. O mais novo apoiador da ideia é o presídio do município de Columbia, nos Estados Unidos, que disponibiliza 108 computadores para videochamada entre presos e seus parentes e amigos.

Segundo o jornal The New York Times, a “visita virtual” é uma tendência crescente nas casas de detenção do país norte-americano. Ela vem substituindo as visitas presenciais em muitas localidades e é defendida com base em argumentos como mais segurança, conveniência, economia e até mesmo rentabilidade, pois algumas delas são cobradas (cerca de R$ 60 por uma hora de conversação).

Por outro lado, advogados de detentos e agentes penitenciários discordam da medida, afirmando que ela pode prejudicar a reabilitação dos presos. Além disso, esse tipo de visita reduziria o contato do detento com a sua família, o que poderia causar um prejuízo psicológico a ele.

Estudos correcionais e sociológicos confirmam a validade da preocupação dos advogados e agentes. Eles mostram que o contato íntimo com parentes e amigos é essencial para manter os laços sociais com o mundo externo, algo imprescindível para a reintegração de um ex-detento à sociedade.

Fonte: The New York Times

Cupons de desconto TecMundo: