De acordo com um relato do Team Liquid, cerca de 11 jogadores profissionais de StarCraft II foram presos na Coreia do Sul sob alegações de apostas e combinações ilegais de resultados. A KeSPA (Korean eSports Association) também soltou uma declaração sobre o caso e divulgou o nome de Park Wae-Sik, líder da equipe Prime, como um dos criminosos.

Em investigação conjunta, a KeSPA e as autoridades sul-coreanas descobriram que, no mínimo, cinco partidas de StarCraft II que ocorreram neste ano tiveram o resultado combinado. Outro jogador envolvido nos crimes é conhecido na comunidade como "YoDa" — no documento, o nome é Choi Byung Hyun, também membro da Prime.

Além de Park e "YoDa", outros nove jogadores devem ter recebido entre US$ 4 mil (R$ 15 mil) e US$ 17 mil (R$ 66 mil) por partida dentro do esquema ilegal. Já corretores e outros apostadores indicam que eles ganharam até US$ 35 mil (R$ 136 mil). Se contarmos as cinco partidas com o valor máximo indicado pelas autoridades, os criminosos podem ter levantado um total de R$ 330 mil.

Como consequência, os 11 gamers foram banidos de jogos eSports até o fim da vida e a KeSPA está acionando um processo contra danos.

Você acha que combinação de jogos em eSports é um crime? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: