Parece que o Pikachu não é assim tão bonzinho quanto pensávamos. Não é a primeira vez que a The Pokémon Company, um dos braços da Nintendo, entra com uma ação na justiça contra alguém que usou indevidamente a imagem de um de seus monstrinhos. Contudo, dessa vez a empresa resolveu pegar pesado.

O caso é o seguinte: Ramar Larkin Jones é um grande fã dos monstrinhos de bolso — ou pelo menos era depois dessa — e possui uma coffe shop na cidade de Seattle. Nos últimos cinco anos, o rapaz organizava em seu estabelecimento a "Unofficial Pokémon PAX Kickoff Party", um pequeno evento que tinha como tema Pikachu e sua turma, músicas e um torneio de Super Smash Bros.

Para participar da festa, as pessoas pagavam uma entrada de U$ 2 (R$ 7,87, na cotação atual). Segundo Jones, a quantia servia só para pagar o DJ e alguns enfeites para o local. O problema surgiu quando o rapaz resolveu fazer alguns pôsteres com desenhos do rato elétrico mais famoso do mundo.

Ao ficar sabendo que seus direitos estavam sendo seriamente abusados, a The Pokémon Company acionou a justiça de Washington (estado ao qual pertence a cidade de Seattle) e num piscar de olhos informou a Jones que ele estava infringindo uma lei de proteção autoral. O moço resolveu cancelar o evento para que não houvesse medidas mais drásticas contra sua pessoa. Contudo, como já diria a Equipe Rocket, ele deveria se preparar para a encrenca.

Isso porque já era tarde demais, a justiça do estado americano condenou Jones a pagar à companhia o equivalente a U$ 4 mil (mais de R$ 15 mil) por danos de imagem. Em entrevista ao site Motherboard, ele disse que não tem a grana para quitar a dívida e pediu o prazo de um ano para juntar o dinheiro. Entretanto, o pedido foi negado e agora o rapaz tem 45 dias para resolver o problema.

Você acha que a The Pokemon Company está certa em defender seus direitos de imagem de forma dura ou ela exagera na dose? Comente no Fórum do Baixaki Jogos

Cupons de desconto TecMundo: