Nos dias de hoje, ainda há quem diga que participar de campeonatos de video game é uma completa “perda de tempo”. Entretanto, quem diz isso talvez não saiba que meses de dedicação e treinamento são capazes de render muito mais que a satisfação pessoal e um troféu para enfeitar a estante, uma vez que podemos encontrar competições que podem dar aos vencedores prêmios como bolsas de estudo. 

E é exatamente isso que chama a atenção de alguns jogadores de Pokémon: a possibilidade de terem seus estudos financiados. Falando ao site IGN, J.C. Smith, diretor de marketing para o consumidor na Pokémon Company International, explicou que, para determinados públicos, oferecer prêmios como bolsas são mais adequados. 

“Bolsas de estudo são importantes porque mostram que estamos lidando com o público certo, e acho que elas também atraem grupos de pessoas que querem jogar por amor a essa prática”, comentou Smith. 

Uma prova disso é que as competições envolvendo Pokémon, especificamente o Pokémon World Championships, são vistas tanto no video game quanto no jogo de cartas, e variam em três categorias diferentes: Juniors (para pessoas com 11 anos ou menos), Seniors (para idades entre 12 e 15 anos) e Masters (qualquer um com 16 anos ou mais).

E como fica o prêmio? 

No caso do Pokémon World Championships deste ano, o primeiro lugar na competição envolvendo o jogo de cartas recebeu uma bolsa de estudos de US$ 25 mil, enquanto as batalhas virtuais trouxeram um auxílio de US$ 10 mil (um aumento de US$ 15 e US$ 6,5 mil, respectivamente, numa comparação com os prêmios do ano anterior). Você pode até achar que esse é um valor baixo, mas os participantes estão nessa por algo maior que o dinheiro. 

“Não acho que nenhum de nós está nessa pelos prêmios. Não é como nos outros eSports onde você realmente pode viver disso. Tipo, em League of Legends os jogadores treinam duro e estão recebendo um salário para ir aos torneios. Nenhum de nós joga pelo prêmio”, disse Aaron Zheng, streamer do Twitch de 17 anos que ficou em quarto lugar em uma competição de Pokémon realizada neste ano nos Estados Unidos. 

“Não acredito [que o dinheiro da bolsa] é o principal motivo de eu jogar Pokémon. A motivação principal é provar a mim mesmo que posso me tornar um campeão mundial. A bolsa funciona mais como um extra”, explicou Brendan Zheng, jogador de 13 anos que venceu o World Champion na divisão Junior em 2013. 

“Acredito que Pokémon finalmente está sendo reconhecido [no cenário competitivo]. Não é como acontece com outras companhias como a Riot ou a Blizzard, que investem milhões de dólares para fazer com que seu game se torne mais popular. As competições de Pokémon são apenas uma parte de toda uma marca, mas agora estamos vendo bolsas com valores mais altos sendo distribuídas”, complementou o jogador mais novo.

Amizades e outros extras 

Ainda que competições inspirem ambientes um pouco mais “pesados” (entenda pessoas que estão ali simplesmente para fazer o seu melhor e vencer), os torneios que envolvem Pokémon vão um pouco além disso e são capazes de oferecer um ambiente mais amigável e convidativo para toda a família. 

“Acho que Pokémon não é o tipo de jogo no qual você deve ser bom, você só precisa ir aos torneios, onde pode encontrar pessoas e conversar com elas. Fiz muitos amigos graças a Pokémon”, explicou Aaron. 

Outro detalhe mencionado por ele é que, diferente de jogos como League of Legends ou DotA 2, não há um ranking com os times favoritos e praticamente imbatíveis, uma vez que qualquer um pode vence as competições – afinal, mais que estratégia, o sucesso aqui também depende da escolha de um time balanceado e, evidentemente, um pouco de sorte. 

“Pokémon é um jogo que envolve sorte, e onde os jogadores favoritos perdem a todo instante. Isso é o que faz dele algo excitante, porque novos jogadores sempre serão incentivados a se unir ao grupo [de competidores]”, concluiu Aaron.

Você já participou de alguma competição de Pokémon? Como foi a experiência? Compartilhe no Fórum do Baixaki Jogos

Via BaixakiJogos.

Cupons de desconto TecMundo: