Já esperado por quem acompanha as notícias relacionadas a Heroes of the Storm, o monge Kharazim — saído diretamente de Diablo 3 — já estava disponível para jogar na Gamescom 2015. O personagem, que serve como um suporte que também é capaz de causar um dano físico considerável, se difere principalmente por contar com três especialidades diferentes que mudam bastante seu papel dentro do jogo.

Você pode optar por uma figura mais agressiva e capaz de dar dano ou por um lutador menos agressivo, mas que traz bônus para seus companheiros quando suas habilidades de cura são necessárias. Segundo a Blizzard, o personagem foi desenvolvido justamente com o intuito de trazer uma opção mais versátil que não estava disponível entre o hall de heróis inspirados em Diablo.

Tive a oportunidade de jogar uma partida rápida com o personagem, o que me permitiu experimentar um pouco a maneira como ele atua em jogo. Embora eu esteja longe de ser um especialista em Heroes of the Storm (título que cabe muito melhor ao colega Max Rox), pude sentir as diferenças que Kharazim traz para o jogo.

No caso, optei por um personagem com características mais defensivas cujo principal objetivo era ajudar meus aliados em campo. Apesar de eu conseguir derrotar facilmente alguns dos monstros em campo, senti que minha opção trouxe desvantagens evidentes na briga contra outros heróis mais especializados — com isso, andar sozinho pelos cenários se tornou uma opção nada sábia.

No entanto, senti que Kharazim possui algumas capacidades defensivas que não são encontradas em personagens que cumprem essencialmente o papel de suporte. A sensação que fiquei é a de que o monge é uma espécie de personagem “intermediário”, que deve agradar principalmente quem gosta de fazer vários papéis no jogo — obviamente, note que isso é somente uma impressão bastante superficial sobre ele.

Rexxar também entra em jogo

Outra cara nova que também estava disponível na Gamescom 2015 é o mestre das bestas Rexxar, que vem acompanhado pela ursa Misha. Apesar de ser possível usar a criatura de forma independente até certo ponto, ela é feita para acompanhar de perto o lutador, se diferindo bastante do sistema adotado pelos Lost Vikings, por exemplo.

Apesar de o orc conseguir causar danos por conta própria, é seu “bicho de estimação” que provoca a maior quantidade de estrago aos jogadores adversários. Dessa forma, é preciso dar uma atenção especial à sua energia, visto que Roxxar fica bastante vulnerável durante os segundos que o urso leva para voltar automaticamente ao jogo.

Infernal Shrines

As batalhas de Heroes of the Storm realizadas durante a Gamescom tinham como palco o mapa “Infernal Shrines”, inspirado em Diablo 3. O grande diferencial deste cenário estava na presença de um inimigo conhecido como “Punisher”, que pode tanto ajudar quanto punir terrivelmente seu time.

Invocada pela equipe que consegue derrotar antes as “Infernal Shrines” que surgem pelo mapa, a criatura vai atrás dos heróis adversários e faz de tudo para derrotá-los. Durante esses momentos, o lado que a invocou tem a oportunidade de avançar no jogo e derrotar as fortificações de seus adversários.

Quando o Punisher está do lado inimigo, ele cria um sentimento de medo genuíno em sua equipe e gera a vontade de passar o mais longe possível dele. No entanto, simplesmente fugir do monstro não é uma opção viável visto que, deixado por conta própria, ele consegue abrir buracos substanciais em suas defesas.

Ao menos baseado no que pude ver, Infernal Shrines vai trazer uma nova mudança de dinâmica para Heroes of the Storm, o que vai ajudar a expandir a variedade do título. Felizmente, não vai ser preciso esperar muito tempo para conferir as novidades, visto que a maioria delas (com a exceção de Roxxar) deve ser liberada já na próxima grande atualização do game.

O Baixaki Jogos viajou à Gamescom 2015 a convite da Activision Blizzard.

Via Baixaki Jogos.

Cupons de desconto TecMundo: