A indústria dos games passa por um bom momento, abocanhando belos números em vendas e ostentando tecnologias de babar em plataformas mais atuais. A qualidade visual em produções mais recentes, por exemplo, pode ser conferida facilmente na beleza das mulheres retratadas no ambiente digital, que exibem curvas impossíveis e, muitas vezes, detalhes ginecológicos. Focada na ajuda a pessoas que sofrem com distúrbios alimentares, uma organização dos EUA utilizou o Photoshop para mostrar que esse pode ser um problema grave do mercado.

O software da Adobe é utilizado em revistas, ensaios de moda, anúncios e outros setores da publicidade para retocar ou reconstruir a aparência das moças, criando uma versão idealizada do corpo feminino. Percebendo que o mundo dos jogos também sofre desse mal e que a popularização do segmento permite que ele influencie as pessoas tanto quanto filmes e comerciais, o site Bulimia.com resolveu usar a ferramenta para dar o troco: imaginou as heroínas dos games com biótipos encontrados mais comumente no mundo real.

Fica fácil perceber as diferenças ao checar as imagens preparadas pela entidade. As cinturinhas minúsculas – que exigem genes especiais ou a retirada de um par de costelas – dão espaço a uma circunferência mais substancial. Seios com uma firmeza irreal e com litros de silicone são substituídos por duplas mais modestas e com um caimento mais natural. A barriguinha chapada e as coxas torneadas também perdem a vez, abrindo espaço para uma aparência consideravelmente menos próxima da de fisiculturistas ou musas fitness.

Será possível mudar o segmento?

Conforme é possível checar na galeria no começo da notícia, a lista abrange personagens que aparecem em games de todos os gêneros, indo desde a fatal Jade de Mortal Kombat até a icônica Cortana de Halo 4 e a garota de biquíni do pôster de GTA V. Isso mostra como a prática de criar mulheres com medidas de “panicats” ou com uma beleza surreal está inserida profundamente na indústria, que conta majoritariamente com profissionais – e com grande parte deles trabalhando quase que de forma exclusiva para um público masculino jovem.

“Alguns estúdios contam vantagem sobre suas técnicas de iluminação hiper-realistas e movimentação natural das nuvens como os recursos mais recentes de seus jogos. Com esse tipo de atenção aos detalhes, nos perguntamos por que neles não podem retratar de forma mais real o corpo feminino?”, questiona a organização norte-americana. Eles vão adiante e afirmam que as garotas que gostam de games podem acabar criando uma imagem distorcida de como seu próprio corpo deveria ser – algo preocupante se considerarmos as mais jovens.

Apesar de ter usado uma imagem antiga de Lara Croft para provar seu ponto – resgatando o design de Tomb Raider: Angel of Darkness –, o Bulimia.com elogia a direção tomada na evolução da personagem após o título que rebotou a franquia em 2013. Nele a arqueóloga apresenta volumes bem menores dentro do sutiã e fica com uma aparência muito mais semelhante à de mulheres bonitas de verdade. Segundo a entidade, uma pesquisa recente revela que nem mesmo os homens querem ver “bonecas perfeitas” na tela a todo momento.

Acha que as mulheres podem ser representadas de uma forma melhor nos jogos? Deixe seu comentário no Fórum do Baixaki Jogos!

Via Baixaki Jogos.

Cupons de desconto TecMundo: