Em entrevista ao site Game Industry, o desenvolvedor de jogos e criador da saga Oddworld, Lorne Lanning, informou que um dos motivos pelos quais seu game foi para o Xbox é que existia uma ideia para que a plataforma fosse simplesmente de graça... sim, exatamente, na faixa, for free.

“Na época, a Microsoft acreditava que a maior fatia do mercado de jogos seria de gamers casuais. O Xbox era para ser um console apenas para os jogadores que não eram hardcore. Por isso, eles se aproximaram de nós. A empresa queria algo que pudesse competir com o Mario, e nós tínhamos aquela audiência. Além disso, talvez a nova máquina seria dada aos jogadores”, explicou Lanning.

“No início do Xbox, todos que viram o projeto começar diziam que ele deveria ser gratuito e obrigar o uso do Windows nele depois de um tempo”, informou o cocriador do console Seamus Blackley.

Xbox com Windows e outras ideias (ruins)

A ideia primária do novo console era ser um trampolim para o sistema operacional da Microsoft invadir outro mercado. Contudo, Lanning lembrou a todos da empresa que a indústria do entretenimento não morria de amores pelo Windows.

Já iria existir uma certa barreira a enfrentar: as pessoas pensariam “Microsoft Game Studios? Será que eles conseguem fazer algo que presta sem ser o Windows? Melhor eles ficarem no PC mesmo”, e esse tipo de coisa. Então, o conceito de ter um video game de graça com o SO foi por água abaixo.

Entre outras ideias (ruins), foi citada a possibilidade de fazer com que o Xbox fosse uma plataforma especializada em filmes ou que só rodasse jogos feitos pela Microsoft. Passou até pela cabeça de alguns maiorais uma possível compra da Nintendo! Enfim, fale uma ideia ruim ou absurda: com certeza a Microsoft já pensou nisso.

Independente das loucuras que foram citadas no início do projeto, a Microsoft se deu muito bem, e no final das contas o Xbox foi um grande sucesso. 

Cupons de desconto TecMundo: