Mesmo após receber ameaças por parte de hackers, a Sony Pictures decidiu dar continuidade à sua agenda e lançou o contundente “A Entrevista” mundo afora – o TecMundo, inclusive, teve a oportunidade de assistir ao filme (clique aqui e saiba mais). E parece que a Coreia do Norte não vai deixar de brilhar sob os holofotes da mídia ainda por algum tempo.

Acontece que o estúdio Moneyhorse foi também alvo de ataques. A desenvolvedora de Glorious Leader!, jogo que satiriza o ditador Kim Jon-un, teve parte de sua base de dados destruída, o que comprometeu a continuidade de vários projetos da companhia. Vale lembrar que o título retrô inspirado em clássicos como Contra, da Konami, estava sendo financiado via Kickstarter – após a perda dos dados, a campanha acabou sendo cancelada.

É hora de "reavaliar" a proposta

“Esta não é a primeira vez em que somos atacados devido ao Glorious Leader!. Em função das ações hacker e também por causa de outras ameaças, acreditamos que é hora de reavaliarmos nosso comprometimento com Glorious Leader!”, escrevem os desenvolvedores. Em outra de suas recentes publicações, o Moneyhouse esclarece que não há motivos para que a ação criminosa seja atribuída à Coreia do Norte ou ao Guardians of Peace.

“Não temos razões para acreditar que [os ataques] foram feitos pelo GOP ou por alguém afiliado à Coreia do Norte. Parece que esta foi outra chance para violadores de direitos autorais oportunistas, já que fomos atacados outras vezes no passado”, esclarece o estúdio.

O jogo aparentemente cancelado tem a intenção de colocar Kim Jong-un no papel de um herói cuja missão é “deter o ofuscante capitalismo”. Vários trechos demonstrados pelo gameplay promocional de Glorious Leader! fazem o ditador passar por situações, no mínimo, cômicas (assista ao vídeo acima). Em uma das cenas, por exemplo, o ator Seth Rogen, que protagoniza o filme “A Entrevista”, aparece como alvo de um lança-míssil. “Rogen! Entreviste isto!”, diz Kim Jong-un.

Cupons de desconto TecMundo: