Em uma mensagem enviada à imprensa nacional, a Nintendo anunciou nesta sexta-feira (9) que, ao menos por enquanto, não vai mais distribuir seus produtos de forma oficial no Brasil, o que inclui jogos, consoles e acessórios (entretanto, o eShop do Nintendo 3DS continuará exibindo preços em reais). Por aqui, esse serviço era feito pela Gaming do Brasil. 

“O Brasil é um mercado importante para a Nintendo e lar de muitos fãs apaixonados. Mas, infelizmente, desafios no ambiente local de negócios fizeram nosso modelo de distribuição atual no Brasil mais insustentável. Estes desafios incluem as altas tarifas sobre importação que se aplicam ao nosso setor e a nossa decisão de não ter uma operação de fabricação local. Trabalhando junto com a Juegos de Video Latinoamérica, iremos monitorar a evolução do ambiente de negócios e avaliar a melhor maneira de servir nossos fãs brasileiros”, explicou Bill van Zyll, diretor e gerente geral para América Latina da Nintendo of America. 

“Somos profundamente gratos pelo trabalho duro e pelas muitas contribuições feitas por cada valioso membro da Gaming do Brasil. Nos últimos anos, trabalhamos juntos para apresentar os consoles Wii U e o Nintendo 3DS para os fãs brasileiros, assim como no lançamento de títulos populares como Super Smash Bros. para Wii U e Nintendo 3DS, Mario Kart 8, The Legend of Zelda: A Link Between Worlds, Donkey Kong Country: Tropical Freeze e muitos outros”, continuou o executivo. 

Por mais que o cenário pareça desesperador, ainda há uma luz no fim do túnel para os fãs brasileiros da Big N. A Juegos de Video Latinoamérica anunciou que, no momento, está em uma posição em que é preciso reavaliar a abordagem na distribuição no Brasil, e que continuará monitorando o ambiente para ficar de olho em futuras oportunidades.

História que se repete 

Ainda que a notícia seja dolorosa para os que curtem os jogos e consoles da Nintendo, é preciso lembrar que essa não é a primeira vez que a Nintendo encerra suas atividades de distribuição no Brasil – afinal, o público acima da casa dos 20 anos certamente deve se lembrar do período em que a Gradiente era a representante da casa de Mario por aqui. 

Nesse período, o público brasileiro teve acesso a jogos e manuais traduzidos para o português (em alguns casos até mesmo o nome dos games vinham em nosso idioma, como The Legend of Zelda: A Link to the Past, que por aqui ficou conhecido como A Lenda de Zelda: Um Elo com o Passado), além de campanhas publicitárias em português. 

O vídeo que você confere na janela acima é um exemplo de como era a atuação da Nintendo em nosso país no passado. Por muito tempo, vários jogadores tiveram a oportunidade de ouvir o slogan “é Nintendo ou nada” em diversas propagandas, e, sem sombra de dúvidas, muitas pessoas sonham em ver esse cenário novamente.

Cupons de desconto TecMundo: