Não é de hoje que muitos jogadores preferem usar um console para jogos. Também é normal que busquemos mais facilidades e, quando essa é a questão, os video games levam a melhor, pois são preparados para que você não precise se preocupar com configurações gráficas.

Pois é, os computadores realmente são mais complicados nesse aspecto, mas alterar as opções de um jogo não é coisa impossível. Hoje, vamos mostrar o que cada recurso altera e quando você deve ativá-lo.

Antes de qualquer coisa, tenha em mente que a ativação de qualquer configuração depende da capacidade do seu computador, portanto é recomendado que você tenha ideia de quais componentes estão instalados em seu PC. Agora, chega de papo e vamos deixar seus jogos mais bonitos.

Resolução: mais pixels em uma mesma região

Alterar a resolução significa aumentar ou diminuir o número de pixels que será exibido na tela. Basicamente, quanto maior a resolução selecionada, mais nítida será a imagem do jogo, afinal são mais pixels em uma mesma área.

Mudar a resolução afeta o desempenho da placa de vídeo. No entanto, somente a alteração deste recurso não causa um impacto muito grande. Caso sua placa seja do tipo onboard, vale ajustar a resolução para um valor intermediário.

Se a sua placa de vídeo é offboard, então usar a maior resolução suportada por seu monitor é o ideal. Para aproveitar os jogos com boa qualidade, recomendados usar no mínimo a resolução de 1280x720 pixels, mas, se o seu PC é potente, vale aproveitar os jogos em Full HD, ou seja, com a configuração de 1920x1080 pixels.

Texturas: tecidos mais realistas

As texturas são os “tecidos” que recobrem todos os elementos de jogo. Entenda que isso não quer dizer que os personagens e objetos sejam feitos de pano ou couro, todavia, é uma forma de dizer que estamos tratando da parte externa dos itens utilizados no cenário.

Dependendo do game, diversas opções devem alterar as texturas, sendo que as melhorias podem causar grande diferença visual. Da mesma forma que existe um impacto gráfico, as texturas vão sobrecarregar os componentes de hardware.

Se você quer deixar seu jogo mais bonito, é uma boa ideia alterar as opções de texturas. Vá modificando aos poucos e observando como seu computador lida com os elementos mais trabalhados.

Sombras: utilizando a luz corretamente

Para dar realidade aos jogos, as desenvolvedoras se empenham em criar cenas repletas de luzes e sombras. Pense como o mundo seria esquisito sem sombras ou como seria difícil viver em um lugar sem luminosidade.

Então, nos jogos, é a mesma coisa, sendo que esses dois elementos servem pra ampliar o realismo. A diferença é que nos games podemos alterar a quantidade e qualidade das sombras e dos efeitos de iluminação.

Para quem deseja aprimorar a experiência visual, as sombras e as luzes podem fazer grande diferença. Assim como outros elementos citados previamente, esses recursos requisitam poder da placa gráfica, portanto teste alguns itens para ver como seu PC se comporta.

Anti-aliasing: um mundo sem defeitos nas bordas

O nome é esquisito, mas no fundo o anti-aliasing não é um bicho de outro mundo. A função deste filtro é aperfeiçoar as bordas dos objetos, removendo os pixels aparentes e deixando tudo bem lisinho e perfeito. É importante notar que este recurso conta com diferentes níveis de aplicação, sendo que quanto mais alto, melhor será o resultado.

Quando falamos em anti-aliasing, surgem os termos FXAA e MSAA. Bom, o MSAA é a técnica mais avançada de anti-aliasing e deve causar melhorias significativas nos games. O FXAA é um filtro mais rápido que tenta imitar o MSAA. O uso de qualquer uma dessas opções causa grande impacto na placa de vídeo, podendo afetar gravemente o desempenho na jogatina.

Você não precisa necessariamente ativar o anti-aliasing. Se o seu PC não é tão potente, é até recomendável que você desabilite essas opções. No fundo, este filtro serve apenas para polir pequenas falhas e não deve causar grande diferença nos gráficos gerais.

Anisotropic: superfícies mais convincentes

O Anisotropic Filtering, também conhecido como AF, é um dos filtros responsáveis por deixar mais nítidas as imagens tridimensionais em jogos. Ele veio para substituir os antigos Bilinear e Trilinear Filtering. Sua função é melhorar a qualidade nas superfícies inclinadas. Assim como o anti-aliasing, o AF funciona com níveis de filtragem e quanto mais alto, melhor será o visual.

Menos borrões, mais realismo (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Assim como anti-aliasing, o Anisotropic não é um divisor de águas na qualidade gráfica. Ele vem apenas para dar os retoques finais e deixar a experiência de jogo mais confortável. Por se tratar de um filtro aplicado depois da renderização, o AF dá muito trabalho para a placa de vídeo.

Você não precisa ativá-lo para obter gráficos lindos, mas, caso sua máquina seja potente, vale experimentar o filtro em diferentes níveis e ver como fica o visual do game.

V-Sync: placa de vídeo e monitor em sincronia

O V-Sync serve para realizar a sincronia entre a taxa de atualização do monitor e os frames produzidos pela placa de vídeo. Basicamente, ele serve para deixar o jogo com um ritmo constante, evitando as oscilações dos frames. O V-Sync é um recurso útil para acabar com o problema de screen tearing.

Ao ativar este recurso, você deve ter em mente que os frames do jogo serão limitados conforme a taxa de atualização do seu display. O V-Sync causa impacto direto na placa de vídeo e é recomendado apenas para computadores robustos, visto que em PCs modestos ele pode estragar completamente o ritmo da jogatina.

Ambient Occlusion: regulando sombra e luz

O Ambient Occlusion é um elemento que aperfeiçoa a iluminação do game. Geralmente, este elemento está atrelado às configurações de luzes, porém a função dele não é trabalhar com luz do ambiente.

A real aplicação do Ambient Occlusion está no modo como a luz é aplicada nas superfícies dos objetos baseada na fonte de luz e no ambiente, ou seja, em um ambiente escuro, a luz tende a ficar mais fraca e desfocada quando aplicada nos objetos.

Para ser sincero, o Ambient Occlusion serve para acrescentar realismo aos jogos, portanto não é um elemento essencial para a jogatina. Se você quer uma experiência aprimorada, ative este recurso, mas tenha em mente que ele vai causar dificuldade para a placa gráfica.

Depth of Field: o desfoque pode ser útil

O Depth of Field, também conhecido como profundidade de campo, é um efeito usado em muitos jogos para dar a impressão de que o personagem do game enxerga como os humanos. Este recurso embaça os elementos de jogo que não estão no campo central de visão.

Assim como outros recursos, o Depth of Field possui diferentes variações de aplicação. Ativar o nível mais elevado deve causar a sensação mais realista, mas é uma configuração que vai impactar no desempenho da placa gráfica. Em jogos de primeira pessoa, este recurso pode vir a calhar, mas não é um elemento que seja necessário para deixar o visual bonito.

Draw Distance: quão grande é o seu universo?

O nome Draw Distance significa distância de desenho, e só com isso você já pode saber do que se trata tal recurso. Ao configurar esta opção, você determina até a que distância do cenário a GPU deve processar (ou seja, desenhar) os elementos. A ideia do Draw Distance é aumentar o “universo” do game, mostrando até que ponto o ambiente se estende.

É interessante ativar este recurso em jogos de terceira pessoa. Tenha em mente que, ao configurá-lo para o nível máximo, o chip gráfico precisará trabalhar com uma enormidade de elementos, o que resultará em grande estresse. Este elemento pode ser útil para evitar os popins, mas ele não é garantia de perfeição.

PhysX: a Física não pode falhar

Presente em uma quantidade menor de games, o PhysX tem como função principal gerenciar os conteúdos de física do jogo. Este recurso cuida de pequenos detalhes, como o movimento de fluidos, dos tecidos e de como cada objeto se comporta ao interagir com outros.

O PhysX é uma tecnologia que foi adquirida pela NVIDIA, por isso ele funciona melhor em placas GeForce. No entanto, é possível usar esta configuração em outros PCs, graças ao software que é disponibilizado para computadores equipados com AMD Radeon. Este recurso deixa a experiência mais rica, mas não causa grande diferença no visual. Se o seu PC é top de linha, vale experimentar.

Tessellation: pequenos objetos também têm profundidade

Por último, mas não menos importante, temos o Tessellation. Esta configuração está disponível apenas para placas de vídeo compatíveis com o DirectX 11. A função do Tessellation é reduzir o efeito de texturas planas, dando profundidade aos pequenos objetos. Este recurso trabalha na malha dos itens, distorcendo e ajustando cada parte para criar um mundo mais realista.

Detalhes notáveis nas roupas e objetos

Se você quer melhorar o visual dos cenários, ativar o Tessellation é interessante, mas fique ligado, pois ele funciona bem apenas nas placas de vídeo mais robustas (uma GeForce GTX 680 ou uma Radeon HD 7970). Em computadores razoáveis (com placas de vídeo intermediárias), é possível ativar o efeito com nível de detalhes reduzido.

Testando infinitamente

Pronto! Agora, ninguém pode reclamar que não sabe para que servem determinadas configurações dos jogos. É importante lembrar que cada jogo possui opções diferentes, portanto nossas orientações servem apenas como uma base. Se você tiver paciência e um tempinho sobrando, vale testar diferentes e recursos e ver o que muda no jogo.

Configurar os games dá trabalho, mas é uma tarefa que pode melhorar a experiência de jogo. Comece a explorar mais as opções e testar os elementos para ver como seu PC se comporta. Provavelmente o tempo perdido nos ajustes será recompensado com gráficos de ponta e uma qualidade de imagem dificilmente alcançada em outra plataforma.

Cupons de desconto TecMundo: