Futuro. De acordo com o dicionário Michaelis esta palavra quer dizer: que há de vir a ser. Que está para ser ou acontecer. O que há de suceder depois do presente. Teoricamente, prever o futuro é impossível, pois ele está sempre à frente do nosso tempo. Muitos já tentaram, alguns até acertaram, mas poucos ou ninguém consegue saber o que acontecerá no minuto seguinte. Nós do Baixaki vamos colocar nosso poder de vidência à prova e vamos tentar descobrir o que o mundo da tecnologia nos reserva para os próximos dois anos. É claro que muita coisa pode acontecer, desta forma vamos focar em ações que já estão acontecendo no presente e que tendem a se popularizar.

Prever é com a gente!

Para começar a sessão de previsão vamos partir para os produtos que vão tomar conta das nossas prateleiras, casas e ruas: os gadgets verdes.

 

A TERRA TAMBÉM É VERDE

A onda verde já ronda o mundo há anos, mas ainda não nos conscientizamos que preservar e consumir menos recursos naturais são essenciais para a sobrevivência do planeta. De acordo com um estudo da Ipsos, o consumidor brasileiro ainda não aprendeu a dar um fim adequado aos seus celulares.

De acordo com o estudo, 34% dos brasileiros dá o celular antigo a alguém, 26% tentam vendê-lo em lojas de aparelhos usados, 16% guardam o aparelho para eventuais emergências, 7% simplesmente jogam o aparelho fora e somente 2% encaminham o produto à reciclagem. Falando nisso. Você sabe qual é o ciclo de produção das coisas que consumimos? Se não, assista ao vídeo abaixo chamado “História das coisas” e entenda o porquê da necessidade de comprar e descartar coisas.

Pensando nisso (e não só nisso), várias empresas já estão destinando esforços para a produção de equipamentos mais verdes. É o caso da Samsung com o Blue Earth que carrega suas baterias com luz solar, o Motorola W233 Eco que tem a carcaça feita com garrafas plásticas recicladas, o Eco Book da Asus feito com bambu que substitui o plástico, os computadores da Apple que não têm PVC ou retardadores de chamas com Brometo e até iniciativas simples, como a redução do tamanho das caixas de papelão que armazenam os seus produtos.

Macbook sem PVC e com caixa menor

Blue Earth da Samsung

 

 

Motorola Eco de garrafas plásticas

 

 

Notebook de bambu

 

 














Por que isso?

O foco em produtos verdes tenderá a aumentar em praticamente todas as áreas. Isso porque, os consumidores estão mudando sua forma de pensar na hora de comprar um produto, já que de acordo com o IBOPE em pesquisa realizada em 2008, 71% dos brasileiros pagariam a mais por um produto se ele for preocupado com o meio ambiente. Mesmo que na prática o resultado não seja bem assim, já temos um avanço. Além dos consumidores mais conscientes, ONGs também pressionam as empresas para que estas se adéquem às posturas ditas como verdes.   

Organizações como a Carbonfund.org, que certifica empresas que se comprometem a emitir menos carbono na produção de seus produtos e o GreenPeace também buscam conscientizar empresas e consumidores. O GreenPeace, por exemplo, disponibiliza o ranking Greener Electronics, ou seja, o ranking dos eletrônicos ou fabricantes mais verdes. A edição de março de 2009 do ranking tinha como uma das empresas mais verdes a Nokia, já a mais inimiga do planeta está a Nintendo (desde dezembro de 2007!).  

Os mais verdes e os inimigos do planeta

A partir destes dados, da mudança do comportamento dos consumidores, dos apelos e pressões de instituições ambientais e até mesmo pela sobrevivência do planeta, o Baixaki afirma! Produtos verdes e ecologicamente corretos serão ainda mais comuns nos próximos dois anos e as empresas de tecnologia que forem de encontro a esta ideia, correm o sério risco de perder muitos clientes e enfraquecer sua imagem frente à opinião pública.

Para saber mais sobre o assunto, consulte os artigos:

Tecnologia Verde

Entenda como funcionam e para que servem os selos de consumo de produtos eletrônicos

Lixo eletrônico: o que fazer após o término da vida útil dos seus aparelhos?

Mito ou verdade: deixar o monitor em stand by consome quase tanta energia quanto um monitor ligado?

Desligar ou não o computador?

Continua na próxima página...
($paginacao$)


TELEVISORES CONECTADOS

Chad Hurley, co-fundador do YouTube, foi enfático ao afirmar: “não é o YouTube que matará a televisão, mas sim a Internet”. Previsões assim já foram feitas com outros meio de comunicação como o jornal, que teve seu destino profetizado quando a televisão se tornou popular, pois se afirmava que ela mataria a mídia impressa, o rádio e até o cinema. Entretanto, não foi bem isso o que aconteceu, pois a TV faz sucesso desde as décadas de 40 e 50 e convivem em harmonia com o rádio, jornal e outras mídias. Entretanto, a Internet já está mostrando as suas garras e os aparelhos de televisão estão perdendo sua função e virando enormes monitores, pois é a cada dia mais comum ligar o PC na televisão. Philco NetVision

Uma coisa é fato: estamos passando mais tempo em frente ao computador e, consequentemente, deixando a TV de lado.

Com o avanço da Internet e o declínio da audiência televisiva, o Baixaki aposta que dentre os próximos dois anos os fabricantes de televisores vão aproveitar a expansão da TV Digital, para mesclar seu televisor com o computador oferecendo novas alternativas e formas para assistir TV.

Quem já saiu na frente

Algumas empresas já investiram na ideia de conjugar um televisor com o computador. Um exemplo é a Philco com o aparelho NetVision. Com Windows XP, teclado e mouse, o televisor híbrido não chamou muita atenção, mas foi uma iniciativa.

Outra empresa está investindo na possibilidade de aliar Internet e televisão. A Samsung lançou uma nova série de televisores: a série 8. Além de ser extremamente moderna, com tela ultrafina, design interessante e diversos recursos, todos os modelos virão acompanhados de uma nova tecnologia batizada de Medi@ 2.0. Esta tecnologia transforma o aparelho em uma central multimídia completa, pois permite a conexão de dispositivos USB e até mesmo a visualização de mídias de sites como YouTube, Yahoo! e Flickr. 

Nova Samsung

A TV Digital chegou ao país mais ainda está longe de ser interativa como as propagandas prometiam. Enquanto ela não cumpre o que promete, a Internet continua a crescer e abocanhar mais e mais pessoas que cansaram do velho e batido método de sentar na poltrona e assistir o que as emissoras querem que você assista. Mais e mais aplicativos e formas de assistir via Internet estão aparecendo, assim como o sucesso A nova TV está chegandoestrondoso do MegaCubo e o crescimento na popularidade de serviços que fornecem o “Video on Demand”, provam a mudança no padrão e formato de consumo de novas mídias concorrentes da TV.

Mesmo com um fim muito longe, a TV e, principalmente os fabricantes de televisores, começam a pensar em uma sociedade mais conectada. Por isso, não se assuste se daqui a alguns meses televisores com programação via Wireless ou com “Full Conection” ao invés de “Full HD” desembarcarem na sua casa.  É claro que a Internet, mesmo que discada, é um sonho distante para grande parte dos brasileiros, contudo já passamos de 60 milhões de usuários de acordo com o IBOPE, assim sendo, aliar a Internet em um país em que a TV é o eletroeletrônico mais consumido é questão de sobrevivência para as emissoras e fabricantes.

Continua na próxima página...
($paginacao$)


REALIDADE AUMENTADA PARA AS MASSAS

Se você acha que misturar objetos reais com virtuais era coisa apenas de filmes no estilo Matrix, está muito enganado. A Realidade Aumentada (RA) está mais comum no nosso dia a dia do que você possa imaginar. Sendo assim, outra aposta do Baixaki para os próximos dois anos é a popularização da realidade aumentada impulsionada pela publicidade e pelos games.