Os video games chegaram ao mundo há mais de 40 anos e desde então vivem uma trajetória de ascendência fenomenal. O que poderia ter sido considerado por alguns como sendo “meteórico” provou a todos os descrentes do ramo que a tecnologia de entretenimento digital veio para ficar e para abocanhar mais do que apenas uma reles fatia de mercado.

Os consoles percorrem uma trajetória relativamente linear, sendo que, a cada novo lançamento, a evolução da plataforma acontece no motor gráfico e na capacidade motora de cara aparelho. Isso implica a melhora da qualidade gráfica e a entrega de elementos audiovisuais dignos dos filmes mais antigos de ficção científica.

 

(Fonte da imagem: Reprodução/G1)

No entanto, em certos momentos da história, a curva evolucionária dos games foi acometida por uma abordagem clandestina — que descobriríamos mais tarde que também veio para ficar. Trata-se da impiedosa e copiosamente artística indústria de video games chinesa.

A arte dos chineses em questão é referente a pura e simples “cópia descarada” dos consoles mais famosos do mercado. O trabalho alcança tal amplitude que é pouco provável que você não tenha ouvido falar (quiçá até visto) de pelo menos uma dessas plataformas do país do Kung-Fu.

Vamos aos clones:

PolyStation: mais de mil jogos na memória

 

(Fonte da imagem: Reprodução/CulturaMix)

 

Senão a primeira das modificações empresariais, o PolyStation deve ser o mais famoso clone de todos no Brasil. Trata-se de uma versão externa do primeiro PlayStation, com a alma de um Super Nintendo. Isso mesmo, a parte superior que indica a capacidade de ler mídias em formato de disco, na realidade é uma tampa do local onde os cartuchos são inseridos.

“Os primeiros mil jogos do video game vêm na memória”. Isso pode até ser verdade, contando que os jogos são piores dos que os celulares “meia-boca” que existem por aí nos dias de hoje.

PolyStation 2

(Fonte da imagem: Reprodução/RPC_1910)

O mercado evolui e a indústria paralela não pode ficar para trás. Eis, então, que o PolyStation ganhou sua “segunda geração”.

Finalmente, o PolyStation 3!

Trata-se de um video game mais simples, com um sistema pouco sofisticado, mas que faz a alegria dos fãs. Não acredita que ele é divertido? Então confira o vídeo acima e tente não rir...

POPstation, o PSP Xing-Ling

 

Tamanho de PSP, formato de PSP, caixinha parecida com o PSP... Mas na realidade está mais para um “Brick Game”, com Tetris e afins.

Chintendo Vii

O console com os sensores de movimento da Nintendo não podia ficar de fora dessa honraria da clonagem. O problema, novamente, são os jogos, que apresentam uma qualidade infinitamente inferior do que os títulos que compõem o hall de games do original console da “Big N”.