Não, este artigo não trata dos melhores filtros solares do mercado, mas sim de um dos gêneros de jogos mais interessantes de todos os tempos, o First Person Shooter (Tiro em Primeira Pessoa). A grande sacada dos seus inventores foi colocar o gamer literalmente dentro do protagonista do jogo, empunhando uma arma ou pistola e partindo dentro de cenários dos mais variados tipos.

Este fator sem dúvida foi crucial na boa aceitação do público em relação ao gênero, visto que a emoção trazida em se deparar com monstros, demônios ou soldados como se você realmente estivesse na pele de um personagem é algo difícil de atingir em outros modos de jogo, sendo praticamente uma exclusividade do FPS dentro dos games de ação.

Pioneiros da década de 90

Os primeiros jogos em primeira pessoa lançados na história foram Maze War e Spasim, lançados na década de setenta e contando com os recursos de sua época. No entanto, o gênero passou a ser uma verdadeira febre apenas em 1992, com a chegada de Wolfenstein 3D, a primeira grande produção do FPS e que viria a abrir as portas para uma das vertentes de jogos mais bem explorada até os dias de hoje.

Em Wolfenstein 3D, você entrava na pele de um soldado americano aprisionado pelos nazistas, que fará de tudo para escapar vivo deste pesadelo. Dentro de um castelo repleto de inimigos fortemente armados e armadilhas diversas, o gênero de tiro em primeira pessoa viria a ganhar prestígio e novos admiradores.

Doom, um caso à parte

Um ano após o lançamento de Wolfenstein 3D, chegaria ao mercado o verdadeiro responsável pela febre que o gênero de ação e tiro em primeira pessoa se tornaria um dia. Doom reunia em sua época tudo que uma geração de jovens precisava para se divertir em um jogo, como gráficos impressionantes, enredo inovador, violência desmedida, jogabilidade facilitada e introdução ao modo de jogo multiplayer.

A história coloca você no papel de um soldado enviado para Marte como punição para um desvio de conduta. Chegando lá, você toma conhecimento de que testes realizados na estação sobre teletransporte entre as luas de Marte trouxeram seres malignos como conseqüência. Agora, você estará em um verdadeiro inferno, lutando contra alienígenas desconhecidos e prontos para arrancar a sua vida a todo custo.

Duke Nukem

Com aspectos técnicos aperfeiçoados em relação ao Doom e um protagonista que na verdade parecia uma sátira de heróis do cinema americano, como Arnold Schwarzenegger, Duke Nukem fazia uso de piadas infames, alusão ao erotismo e diversas outras características inovadoras para a época, o que garante o seu lugar de destaque na história do gênero.

Quake e Half-Life

Durante muitos anos a partir de 1994, diversos jogos lançados para computador viriam a ser considerados meras cópias de Doom, e realmente eram muito parecidos com o pioneiro. No entanto, em 1996 é lançado Quake, o próximo grande revolucionário do gênero e título que daria entrada a um novo conceito de disputas online, com gráficos totalmente em três dimensões pela primeira vez no segmento.

Dois anos depois, seria lançado o segundo grande divisor de águas no mundo do FPS, o game Half-Life. Com um motor gráfico inovador, narrativas envolventes e recursos extraordinários para a época, o jogo conquistou  todos os amantes do estilo em pouco tempo a partir de seu lançamento, em 19 de novembro de 1998. Neste mesmo ano, Half-Life ganharia nada menos que cinquenta e um prêmios de melhor jogo do ano, emplacando o seu nome na história do FPS e servindo de modelo para jogos até os dias de hoje.

Mas e o CS?

Outro ponto em que o Half-Life foi um destaque refere-se à quantidade de Mods, ou modificações jogáveis criadas com base no game principal, criados para ele. Bastava você tê-lo instalado no computador para poder acrescentar novos títulos pertinentes ao jogo, o que é o caso de Counter Strike.

Proteger um personagem importante e escoltá-lo até o helicóptero de resgate, impedir que uma bomba fosse implantada e detonada ou levar um grupo de reféns para uma área segura são os três pontos fundamentais criados no CS.

Escolhendo ser o mocinho ou o bandido, você tem um arsenal à sua disposição em cada nova rodada, devendo eliminar todos os adversários ou concluir seus objetivos para ganhar mais dinheiro e melhorar o seu equipamento.

Neste dinamismo divertido e simplificado se encontra o sucesso de Counter Strike, o FPS online mais popular da história. Basta escolher um servidor para jogar com dezenas de players online, aderindo ao lado do meu ou do mal e partindo para rodadas de poucos minutos, com muita ação e diversão em cada uma delas.

Rainbow Six

Embora sua importância não seja tão grande quanto a dos jogos anteriormente citados, Tom Clancys Rainbow Six merece destaque por ter sido o pioneiro no que podemos chamar de FPS tático. Como acontece em grupos de combate ao terrorismo a exemplo da SWAT, você deveria planejar muito bem suas estratégias antes de entrar no cenário.

Dentro das fases, era possível controlar até três soldados distintos, fazendo com que eles seguissem suas ordens ou controlando um de cada vez, dando um toque ainda mais interessante ao game. O realismo dos combates e efeitos de tiros e golpes foi muito bem empregado em Rainbow Six, tornando o jogo um grande sucesso e abrindo uma nova vertente para o gênero.

Unreal Tournament

Para fechar a década de noventa com chave de ouro, chegou ao mercado dos jogos, em trinta de novembro, o Unreal Tournament, outro game extremamente popular entre os amantes dos jogos de tiro em primeira pessoa online.

Embora muitos não saibam, o jogo que deu origem ao UT foi lançado um ano antes dele, e chamava-se apenas Unreal. No entanto, a Epic Games resolveu apostar forte no universo online e acabou criando um dos referenciais em jogos de tiro para combates em rede.

DE 2000 ATÉ HOJE

Como não poderia deixar de ser diferente, as inovações em temas e narrativas dentro do gênero FPS passaram a ser cada vez mais difíceis de serem atingidas, já que muitos games no estilo já haviam sido lançados, repletos de conceitos inovadores.

Deus EX

Acrescentando novas possibilidades a um jogo de ação em primeira pessoa, Deus Ex foi o pioneiro em inserir elementos do RPG dentro do enredo. No jogo, você contava com elementos complexos e poderia resolver os problemas de maneiras diferentes, o que acarretaria em trajetos distintos para o seu personagem trilhar durante as narrativas. Realizando as ações da maneira correta, era possível terminar o jogo sem precisar desferir um tiro sequer, provando a vasta gama de ações permitidas para seu personagem.

Sim, senhor!

Battlefield 1942

Como seu próprio título deixa a entender, este game traria os campos de batalha da Segunda Guerra Mundial para a tela dos gamers do mundo todo, em partidas online extremamente bem elaboradas e repletas de novos recursos e possibilidades.

Este jogo foi um dos que mais ameaçou a preferência dos usuários de LAN houses e jogos na Internet pelo Counter Strike. O clima de verdadeiras batalhas bélicas presente no ar atraía a milhares de fãs, o que coloca Battlefield 1942 em destaque no mundo do FPS.

Call of Duty

Dando continuidade aos grandes jogos de guerra já lançados, chega em 2003 o Call of Duty, outro expoente no gênero, em especial quanto à narrativa histórica presente dentro do game. Seguindo aspectos de visual e jogabilidade semelhantes aos de Battlefield, CoD despontava quanto ao seu enredo, bem mais envolvente e historicamente fiel aos fatos relatados na Segunda Guerra Mundial.

Atualmente, Call of Duty: Modern Warfare, o quarto game da franquia, é um dos títulos mais jogados no universo do FPS online, apresentando efeitos visuais e sonoros excelentes e relativamente leves se comparados aos seus atuais congêneres, além de uma jogabilidade muito fluida e dinâmica.

Luz e escuridão

Em 2004, dois grandes lançamentos dividiram a atenção dos gamers, em especial quanto aos amantes do FPS. Far Cry e Doom 3 seguiam linhas totalmente diferentes quanto ao cenário e enredo, mas apresentavam qualidade insuperável até então.

O primeiro deles trazia um ambiente muito diferente do que os jogadores estavam acostumados, colocando você em uma ilha paradisíaca e de qualidade gráfica simplesmente impressionante, enchendo os olhos dos mais entusiastas e que podiam ter um computador que fizesse uso de todos os recursos do jogo.

Lançado pela Crytek, em 23 de março de 2004, Far Cry inovava em enredo, qualidade e diversão, deixando de lado os padrões criados até então e colocando o player em um ambiente imersivo, onde distâncias quilométricas poderiam ser percorridas em um jipe ou barco, sempre com um belo cenário ao redor.

Por outro lado, todo o aspecto tropical aplicado ao Far Cry é exatamente o oposto do que conferimos em Doom 3, lançado pouco mais de quatro meses depois. Escuridão, terror e medo são características presentes em praticamente todos os momentos do jogo em cada curva ou porta aberta dentro dos cenários.

Em diversos momentos dentro do game, você simplesmente ficava em um breu completo, tendo apenas uma pequena lanterna como auxílio, que, aliás, não poderia ser utilizada juntamente com uma arma. Os gráficos extremamente realistas do jogo o deixavam ainda mais amedrontador, garantindo um novo sucesso para o público amante da série.

BioShock

As inovações tecnológicas quanto ao potencial gráfico permitido para um jogo estavam em alta, mas o que os gamers precisavam mesmo era de um enredo cativante, com personagens, história e narrativa dignas de uma grande produção cinematográfica.

BioShock atende a todos estes quesitos, colocando o protagonista em uma cidade perdida no fundo do oceano, repleta de enigmas e mistérios intrigantes, que mantém o gamer preso à tela durante boas horas de diversão. Os ricos detalhes do cenário e a personalidade marcante das pessoas e seres do local recheiam ainda mais a narrativa, tornando BioShock indispensável para quem quer algo a mais do que somente jogar.

Crysis, o benchmark atual

Dando continuidade aos jogos desenvolvidos pela Crytek, Crysis foi lançado em novembro de 2007, mudando o patamar do que até então conhecíamos em quesitos técnicos, como qualidade em gráfico, física e todos os outros aspectos que incorporam um jogo.

O realismo das texturas, objetos, explosões e demais efeitos dentro do game impressionam, além da interação do personagem com o cenário em níveis jamais aplicados anteriormente. No entanto, rodar este jogo nos níveis mais elevados de qualidade requer um computador muito potente, dando a função de benchmark para o game.

ÚLTIMOS LANÇAMENTOS

Entre os jogos não citados como destaque, temos F.E.A.R. 2, Crysis: Warhead, Far Cry 2, Left4Dead, entre outros muito bem cotados pelos usuários do mundo todo. No entanto, nenhum deles se destaca como inovador no cenário atual do gênero FPS, embora sejam produções de boa qualidade e estejam entre a preferência de milhares de usuários.

Vale lembrar que nos consoles nós também tivemos grandes produções de tiro em primeira pessoa, tendo como destaque jogos como 007: Goldeneye e Perfect Dark, além de Halo e Medal of Honor, que ganharam diversas versões até os dias de hoje. Também são destaques as novas produções, como Killzone 2, Resistance 2 e Halo 3.

Cupons de desconto TecMundo: