Em manuais de placas-mãe e dos processadores você certamente encontrará algum trecho fazendo referência ao Front Side Bus (FSB). Primeiramente, vale frisar que o Front Side Bus não tem nada a ver com um ônibus, mas de certa forma ele executa a tarefa de transporte, assim como este veículo bem comum aos cidadãos brasileiros. O Front Side Bus, de certa forma, é um caminho que liga o processador a ponte norte (North Bridge) do chipset da placa-mãe (mainboard).

Traduzindo para o português

A sua placa-mãe tem de controlar diversos dispositivos do computador, porém ela não tem um processador tão rápido como o que você instala nela. Pensando nisso, as fabricantes de placas-mãe desenvolveram o Chipset, o qual tem como função controlar a memória, o HD, as placas onboard e todo o resto de componentes que estejam ligados a placa-mãe.

Localizando o FSB

O grande problema que ocorreu com o chipset foi que com o passar do tempo, ele ficou bem distante do processador, dificultando a comunicação. Analisando isso, as empresas que fabricam placas-mãe separaram o chipset em duas partes: Norte e Sul. A parte Norte fica perto do processador e tem como nome “North Bridge” (Ponte Norte). A North Bridge é responsável por controlar a memória RAM do computador e manter comunicação constante e veloz com o processador.

Legal. E onde entra o Front Side Bus?

Pois bem, o Front Side Bus é justamente a “trilha“ que conecta o processador com a North Bridge. O FSB é controlado pela placa-mãe, sendo que a velocidade dele é aplicada no processador e até na memória RAM. Por exemplo: se o seu processador funciona na frequência de 3000 MHz, ele terá de operar sobre um FSB de 200 MHz com um multiplicador de 15 vezes.

Valor do FSB e do multiplicador geram a frequência do Processador

Como assim? Que multiplicador?

A maioria das placas-mãe possui no Setup uma área específica voltada à configuração do processador. Nesta área você pode alterar o multiplicador, que é uma configuração para você fazer overclock do processador. Como o próprio nome já diz, o multiplicador é um recurso que serve para multiplicar um fator por outro. No caso do FSB, o multiplicador usa o clock do FSB e o valor que você especificar para alterar a velocidade de operação do processador.

Que diferença faz o FSB operando em uma frequência elevada?

Veja que o Front Side Bus está totalmente relacionado com o processador e a memória RAM. Considerando isso, fica meio óbvio que qualquer 1 MegaHertz acrescentado no FSB, pode ser um valor muito alto para o processador e a memória RAM. Se o Front Side Bus opera a 200 MHz, por exemplo, ele será capaz de rodar um jogo com uma quantidade de quadros por segundo bem maior do que o FSB configurado para operar em 190 MHz.

Não tente configurar valores absurdos

Qualquer tarefa que você vá realizar com seu computador deve ser muito bem pensada, sendo que muitas devem ser executadas após uma boa leitura do manual (ou até mesmo por técnicos). O FSB é um valor utilizado em vários componentes de Hardware e ele tem efeito direto sobre o processador, o que pode ser um perigo. Caso você esteja pensando em aumentar o Front Side Bus de 200 MHz para 300 MHz, pode ir parando de exagerar. O FSB é controlado pela placa-mãe, a qual possui um valor máximo (que em geral não chega a mais do que 10% do que o FSB suporta).

Outro detalhe importante a citar, é que caso você tente fazer overclock aumentando o FSB ou o multiplicador, tenha certeza primeiramente que o cooler de seu processador é adequado para tal façanha. Tais tarefas são arriscadas e não são recomendadas, pois em geral elas geram mais dores de cabeças do que ganhos significativos em desempenho.

Cupons de desconto TecMundo: