Marvel vs Capcom: Infinite, quarto jogo da franquia de luta que mistura alguns dos personagens mais populares dos games e dos quadrinhos, foi revelado durante a PlayStation Experience, no final de semana. Os fãs logo notaram uma mudança no visual, menos cartunesco, e a ausência de alguns personagens até então muito presentes em vários títulos da companhia responsável por Street Fighter: os X-Men não deram o ar da graça. E nem devem aparecer tão cedo.

“Ah, mas é por causa da briga entre o Marvel Studios e a Fox Films, que detém os direitos dos X-Men e do Quarteto Fantástico”, você pode dizer. Ou “é que eles querem aproximar o jogo do universo cinematográfico da Casa das Ideias, com os heróis utilizados nos filmes”. Bem, ambas as afirmações estão corretas, contudo, não é exatamente esta a verdadeira razão pela ausência dos Filhos do Átomo.

Capcom e X-Men: uma história de amor

Antes de dizer que a Capcom não tem interesse em utilizar os personagens simplesmente porque preferem os outros que estão em evidência no cinema, é preciso lembrar que a empresa tem grande paixão pelos mutantes. Além de X-Men: Children of the Atom, a desenvolvedora também fez muito sucesso com X-Men vs Street Fighter e sempre manteve algum dos heróis ou vilões desse cantinho da Marvel em suas batalhas épicas de Marvel vs Capcom.

Wolverine, aliás, é um dos destaques de Marvel vs Capcom 3: Fate of Two Worlds e ilustra a capa do game. O título foi lançado em 2011, quando já rolava a treta entre o Marvel Studios e a Fox Films, portanto, se fosse por esta razão, Logan provavelmente não encabeçaria a lista de lutadores. Tá, mas qual é o galho então? Bem, há um conflito interno na Casa das Ideias, que começou devido aos problemas de direitos autorais nos cinemas.

A ira de Ike Perlmutter

Desde o início dos anos 2010, o Marvel Studios, que na época era um braço da Marvel Entertainment — responsável pelos games, seriados, desenhos, enfim, todo o merchandising da companhia —, vinha tentando se aproximar da Fox e da Sony, em busca de parcerias para trazer os X-Men, o Quarteto Fantástico e, principalmente, o Homem-Aranha para seu universo cinematográfico.

Enquanto a Sony foi amolecendo e cedeu com o tempo — até porque não se saiu bem em construir seu próprio mundo para o Amigo da Vizinhança nas telonas —, a Fox mostrou-se irredutível. Ela até preferiu levar em frente um arriscado projeto de reboot do Quarteto, só para não ter que devolver os direitos para a Casa das Ideias. Explica-se: o contrato é vitalício, desde que a companhia use os personagens em determinado tempo.

Fox chegou a inventar um reboot de muito mau gosto do Quarteto Fantástico no ano passado, só para não perder os direitos dos personagens

O presidente da Marvel Entertainment, Isaac (ou Ike) Perlmutter, ficou possesso: há três anos, ele vem barrando a criação de novos mutantes na Marvel Comics e proibiu a exploração das franquias X-Men e Quarteto Fantástico ou qualquer personagem relacionado em camisetas, canecas, brinquedos e videogames. Tudo para, teoricamente, minar a popularidade desses heróis e o interesse do público nas bilheterias.

Isso escapou dos bastidores da empresa e desde então, vem sendo ventilado por insiders e fontes confiáveis. Até mesmo os novos pôsteres oficiais da editora sequer contam com Wolverine ou Reed Richards. A decisão de Ike não só causou a revolta dos fãs como um grande mal-estar na companhia inteira.

Pôster oficial da Marvel Entertainment de alguns anos atrás...

...e o line-up dos personagens da Casa das Ideias atualizado em 2015: nada de X-Men e Quarteto Fantástico

A Guerra Civil interna na Marvel

Cansado de responder ao temperamental Ike Perlmutter, o presidente do Marvel Studios, Kevin Feige, decidiu mover a estrutura do estúdio para debaixo do guarda-chuva da Disney, proprietária de toda a Marvel. Assim, ele mostrou a insatisfação que ele e vários criadores, roteiristas e desenhistas vêm sentindo com a decisão do CEO da Marvel Entertainment.

Inumanos são os preferidos do CEO da Marvel Entertainment Ike Perlmutter

O longa dos Inumanos, que só entrou na cronologia inicial de todos os filmes porque Ike obrigou Feige a inserí-lo em troca da adaptação da Capitã Marvel, saiu imediatamente dos planos assim que o braço cinematográfico da Casa das Ideias não precisou mais responder diretamente à Marvel Entertainment.

Veja bem, essa é uma briga tão grande que causou uma cisão no conglomerado e gerou mudanças nas bases da companhia. Entenderam por que é muito improvável que os X-Men — ou o Quarteto — apareçam em Marvel vs Capcom: Infinite? Para isso, Ike teria que voltar atrás em algumas decisões, o que não deve acontecer tão cedo.

Mas não há esperança mesmo?

Bem, há uma luz no fim do túnel: recentemente, a Marvel TV anunciou uma parceria com a Fox TV na série "Legion", sobre o filho esquizofrênico do Professor Xavier. Além disso, os Inumanos ganharão uma atração televisiva em breve, pela ABC. E rumores indicam que a Fox Films pode estar aos poucos se convencendo de que o melhor destino para os personagens do cantinho do Quarteto Fantástico seja mesmo o Marvel Studios.

"Legion" seria capaz de ajudar a unir a Fox e a Marvel nos cinemas?

Isso tudo indica que a ira de Ike e suas rusgas com o mundo podem estar perdendo força. Aí, quem sabe numa versão Ultimate, não possamos finalmente ver Wolverine, Deadpool, entre outros, em Marvel vs Capcom: Infinite? Cruzemos os dedos.

Cupons de desconto TecMundo: