Sempre polêmico com as suas avaliações do mercado de jogos e colecionando tanto seguidores quanto desafetos ao longo dos seus anos na indústria, Michael Pachter bateu forte nos jogadores de PC ao participar de uma entrevista sobre o anúncio do PlayStation 4 Pro. Segundo o analista, a galera que costuma adotar o computador como plataforma principal de jogatina é extremamente arrogante e age como se fossem verdadeiros racistas.

Toda essa história teve início porque o portal Daily Star resolveu questionar Pachter a respeito das novidades trazidas pela edição do console da Sony. A principal dúvida do jornal britânico era se o hardware melhorado, o aumento de desempenho na hora de rodar os jogos e o suporte à resolução 4K seriam suficientes para atrair os PC gamers – já que teoricamente, eles poderiam pagar menos no PS4 Pro do que em uma máquina mais avançada para a jogatina.

Imagens como essa são comuns nas discussões entres jogadores de PC e console

“Eu acho que os jogadores de PC são como racistas; eles só gostam da sua própria gente e não têm nenhum interesse em se aventurar por aí e se misturar com outras ‘raças’”, disparou o analista. Ao que parece, muitos estão levando muito a sério toda aquela piadinha de “PC Master Race” e das vantagens que um computador de ponta tem em comparação com os video games da geração atual – mesmo que somente poucas pessoas tenham acesso a esse tipo de equipamento.

Instalar um novo hardware é "mais ou menos" assim

Bastante incomodado com a situação, Pachter deu continuidade à sua bronca dizendo que esse pessoal não passa de “moleques arrogantes que acham que o que eles fazem é melhor do que o que os outros jamais podem fazer”. Apesar disso, ele indicou que alguns dos adeptos dos computadores – principalmente os com PCs mais modestos – podem encontrar no PS4 Pro uma ótima oportunidade para embarcar na nova geração. A mesma dica é válida para os donos de Xbox One que queiram testar o gramado do vizinho pela primeira vez.

Via TecMundo Games.

Cupons de desconto TecMundo: