A China é um dos mercados mais atrativos para investidores de praticamente todos os segmentos, basta ver que gigantes como a Hasbro liberam orçamentos milionários para filmes que agradam o público local – como a série “Transformers” – e a DC vem tentando emplacar um Superman chinês em suas novas HQs. Agora, é a vez do grande país asiático fazer o inverso e mostrar a força de seus próprios produtos de entretenimento com o anúncio oficial do Tomahawk F1: um console que quer bater de frente com PlayStation 4 e Xbox One.

O video game desenvolvido pela Fuze e programado para ser lançado no próximo dia 1º de junho foi apresentado pela primeira vez na última terça-feira (10), em uma coletiva de imprensa realizada em Pequim. Na ocasião, o CEO da companhia, Wang Feng, deu mais detalhes a respeito do equipamento, tanto mostrando o visual do brinquedinho quanto oferecendo uma prévia das especificações do hardware que deve acompanhar o conjunto.

Em questão de design, o F1 parece seguir uma tendência tradicionalmente negativa da indústria chinesa, que é a inspiração nada sutil em concorrentes. Assim, o console se apresenta como uma versão miniatura do PS4 – excluindo a leve inclinação do produto da Sony –, enquanto os controles se aproximam bastante dos periféricos da família Xbox, seja com o formato praticamente idêntico ou repetindo a posição de botões e direcionais.

O empréstimo de elementos dos competidores segue também na plataforma que roda todo o sistema. Isso porque, apesar de o console ser baseado em Android, houve um esforço da fabricante em se desvencilhar de outros produtos que optam pelo software da Google – e que, geralmente, não se mostram tão potentes ou eficientes na hora da jogatina. A opção foi customizar de forma intensa o programa para trazer uma experiência fluida e mais próxima do que os usuários estão acostumados. O resultado? Uma interface à la PlayStation 4, claro!

Será que teremos temas, como no console da Sony?

Seleção afinada de componentes

Para se distanciar ainda mais de outros produtos com Android OS – como o Ministation, da Tencent, e o icônico Ouya – e ser capaz de reproduzir games em alta qualidade, os componentes do vindouro F1 são relativamente ousados. O video game está programado para ser oferecido em dois modelos, Play e Elite, ambos compartilhando configurações como processador e GPU fabricados pela NVIDIA, mas oferecendo opções de armazenamento diferentes: 32 GB para o item mais simples e 500 GB para o produto “premium”.

Confira abaixo as configurações completas até agora:

Especificações Técnicas

  • Sistema operacional: Fuze OS (Android)
  • Processador: NVIDIA Tegra K1 quad-core A15 de 2,2 GHz
  • GPU: NVIDIA Keppler
  • Memória RAM: 4 GB
  • Armazenamento interno: 32 GB eMMC (Play) ou HD de 500 GB (Elite)
  • Conectividade: HDMI, USB 3.0, Ethernet, Bluetooth 4.0, WiFi a/b/g/n/ac
  • Recursos: suporte a Open GL 4.4 e Open GL ES 3.1

A ideia é que os aparelhos sejam disponibilizados pelo preço de 899 a 1499 yuans, valor que se converte em cerca de R$ 490 a R$ 813 – para os modelos Play e Elite, respectivamente. Para complementar a experiência e tornar o F1 ainda mais adaptado às novas tecnologias, a Fuze ainda prometeu o lançamento de um headset VR para o console. O periférico deve sair no final deste ano e custar por volta de 1.100 yuans – R$ 596,73, em conversão direta.

Belo acervo de títulos

Claro que um video game não se sustenta apenas com uma interface familiar, hardware competente e preços atrativos. No fim, o que importa para o gamer são os jogos disponíveis para curtir boas sessões de jogatina, e, nesse caso, a empresa chinesa parece ter se preparado bem para enfrentar o mercado. Apesar de não haver planos para fora da China, a companhia não quer ficar restrita ao público local, por exemplo. Isso porque ela está contando com um plantel bem interessante de parceiras orientais e ocidentais fora do país.

Segundo informações divulgadas pelo site ZhugeEX, a Fuze estaria contando com o apoio de publishers como Koei Tecmo, Codemasters, Comcept, Ubisoft, Deep Silver e Arc System Works para trazer títulos de peso ao console. Entre as franquias e games já prometidos para o Tomahawk F1 estão obras como BlazBlue, Saint's Row, Assassin's Creed, Dynasty Warriors, Mighty No.9, Red Ash e muitos outros. Ao todo, estão confirmados 76 nomes para o período de lançamento, devendo chegar a mais de 100 produções até dezembro.

Ao todo, estão confirmados 76 nomes para o período de lançamento, devendo chegar a mais de 100 produções até dezembro

Mesmo que seja difícil prever a aceitação do equipamento entre público e crítica – e como ele realmente deve se sair contra as marcas já estabelecidas no setor –, dá para dizer que somente a existência de um projeto desses e o apoio da indústria já mostram que os chineses têm um potencial grande a ser explorado quando o assunto é a criação de uma plataforma competitiva de jogos. É uma mudança de cenário interessante, já que os video games só foram legalizados novamente no país em meados de 2014.

Você apostaria no sucesso de um console chinês baseado em Android? Comente no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: