Com mais de uma década de existência, World of Warcraft é um game que acumulou uma verdadeira legião de fãs. No entanto, seja por questões de nostalgia ou simplesmente por não gostar das mudanças feitas pela Blizzard com o passar do tempo, muitos fãs não participam mais dos servidores oficiais e procuram em alternativas privadas a maneira de conseguir a experiência que desejam.

Um desses servidores era o Nostalrius, uma opção não oficial que oferecia a experiência clássica do MMO — isso é, sem as expansões e atualizações feitas com o passar dos anos. Apesar de teoricamente isso não interferir com os negócios da Blizzard, nesta semana a companhia decidiu emitir um pedido para que os responsáveis pela iniciativa parassem suas ações — caso contrário, um processo judicial seria iniciado.

O Nostalrius oferecia uma experiência clássica aos fãs do MMO

Segundo o produtor executivo de World of Warcraft, J. Allen Brack, a companhia tomou essa decisão após observar atentamente as atividades do servidor. “Nosso silêncio sobre esse assunto não reflete nosso nível de engajamento e paixão sobre esse tópico”, afirmou ele nos fóruns oficiais do game.

Questões de direitos autorais

“Estamos ouvindo vocês. Muitos de nós na Blizzard e do time de desenvolvimento de WoW somos jogadores apaixonados desde o WoW clássico. Pessoalmente, eu trabalho na Blizzard por causa disso. Estamos discutindo servidores clássicos há anos — é um tópico de toda BlizzCon — e, em especial, nas últimas semanas”, afirmou Brack.

Muitos fãs sentem falta da versão original do MMO

No entanto, o produtor afirma que Nostalrius teve que ser fechado, pois sua manutenção poria em risco as propriedades intelectuais da empresa. “Isso se aplica a tudo que envolve a propriedade intelectual de World of Warcraft, incluindo servidores não oficiais. Embora tenhamos contemplado a possibilidade, não há caminho legal para proteger nossas IPs e dar uma licença de operação para um servidor pirata”.

Por outro lado, Brack garante que a Blizzard estuda lançar um reino exclusivo para aqueles que não querem lidar com os elementos que o MMO recebeu com o passar dos anos. Apesar de afirmar que a empresa chegou a falar com alguns dos responsáveis pelo Nostalrius, o produtor executivo deu a entender que no momento não há nada de concreto no que diz respeito a dar essa opção aos jogadores.

Ex-desenvolvedor critica a decisão

Pouco após a decisão de fechar o servidor, o ex-líder de projeto de World of Warcraft, Mark Kern, publicou uma “carta aberta” em seu YouTube criticando o ocorrido. Segundo ele, a empresa não foi inteligente em encerrar as atividades do Nostalrius — para comprovar isso, ele apresentou uma petição com 10 mil assinaturas feita por fãs que desejam voltar à experiência clássica do jogo.

“Agora, todo jogador que já quis experimentar WoW fez isso”, afirma Kern. “Ele é simplesmente tão grande que não há grandes volumes de jogadores não afetados para atrair à franquia. Mas há veteranos, milhões deles. E eles sentem falta de suas casas e de suas comunidades”, complementa.

Segundo ele, o licenciamento da propriedade intelectual é complicado, mas não exatamente impossível. Kern também acredita que a Blizzard já tem a capacidade de criar uma plataforma clássica focada exclusivamente em WoW. “Eles já fizeram isso para Diablo 2, Starcraft e Warcraft III. Está até mesmo em seu site. Então eu não entendo essa resposta. Não faz sentido quando eles já fizeram isso para seus outros games legacy”, afirmou ele ao The Escapist.

E você, o que pensa sobre essa situação? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: