De uns tempos para cá, temos visto alguns títulos que haviam sido originalmente anunciados como exclusivos para Xbox One ganharem versões para computadores (Quantum Break é um dos exemplos mais recentes desse caso). Outros seguiram o mesmo caminho, mas parece que esse não será o caso de Halo 5: Guardians. O motivo? Phil Spencer, chefão da divisão Xbox na Microsoft, explica. 

“Se eu habilitar um teclado e um mouse em um console – o que nós faremos – e então baixar [Ashes of the Singularity, jogo de RTS usado como exemplo], você está jogando em um monitor. Seria esse um jogo para PC ou um game para video game? Eu evito dizer ‘todos’ [que todos os títulos do Xbox One serão lançados para computador] porque acredito que há jogos que as pessoas querem jogar diante de seus monitores usando teclado e mouse, e eu quero ser alguém que trabalha nesses games”, explicou Spencer durante uma sessão de perguntas e respostas no evento Build 2016. 

Outra coisa mencionada pelo executivo é o fato de que jogos como Halo Wars 2 têm chances de funcionar melhor em ambas as plataformas (ele também mencionou Forza Motorsport 6 como exemplo), e foi isso que levou o time de desenvolvimento a trabalhar com as duas opções. O resultado foi o sucesso em ambas as investidas, e é isso que leva a Microsoft a não apostar em conversões que podem não funcionar simplesmente para ganhar mais dinheiro. 

“Não quero fazer algo como um mandato artificial, porque aí podemos terminar com algo como um ‘frankengame’, games que não foram projetados para uma plataforma específica. Aí, só porque alguém disse ‘hey, tudo vai funcionar em ambos os consoles’, você acaba fazendo algo que as pessoas não queriam. É possível esperar por algo do gênero quando as franquias parecem ter sido projetadas para ambas as plataformas, mas eu não iria tão longe a ponto de dizer que isso é algo obrigatório para um estúdio, pois não é”, comentou Spencer.

Phil Spencer diz que nem todos os jogos podem funcionar bem no computador - aparentemente, esse é o caso de Halo 5: Guardians

Tudo bem, e quanto a Halo 5? 

Se a essa altura a pergunta acima ainda está na sua cabeça, o chefão da divisão Xbox mencionou, novamente pegando o gancho da ideia de “frankengame”, que Halo 5: Guardians foi pensado como um lançamento para consoles, o que justificaria o fato de ele ainda não ter dado as caras no PC. 

“Em termos de um Halo FPS no PC, acho que há diversas possibilidades para nós no momento, mas não quero me ver em um mundo no qual estamos olhando para trás, como no caso de Halo 5. Isso não quer dizer que não há nada que não possa acabar chegando ao computador, mas eu prefiro seguir com aquilo que temos planejado”, concluiu o funcionário da Microsoft.

Halo 5: Guardians no PC: você curte ou rejeita essa ideia? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: