Em 2013, Elon Musk, executivo da SpaceX, publicou uma ideia de transporte super-rápido em que um trem viajava por dentro de um grande tubo a vácuo. Com isso, era possível conseguir grande eficiência energética e, ainda assim, altas velocidades. Meses depois, uma empresa foi criada para materializar essa ideia e, recentemente, os primeiros progressos no projeto foram apresentados.

A empresa em questão se chama Hyperloop Transportation Technologies (HTT) e já tem projetos que precisam agora serem construídos em caráter experimental. A ideia original do Hyperloop de Musk foi alterada a certo ponto para se tornar economicamente mais viável. Agora, a companhia precisa de financiamento para tirar os esquemas do papel.

Quem trabalha na HTT

Entre os engenheiros que estão trabalhando na HTT, temos pessoas que também fazem parte da SpaceX, da NASA, Boeing e outras grandes instituições como essas. Acontece que, por enquanto, nenhum deles está recebendo nenhum centavo pelo seu trabalho. A estrutura da companhia prevê que os colaboradores recebam seus pagamentos somente quando ela começar a dar lucro. Quando isso acontecer, todos serão “sócios” do negócio que pode render bilhões.

A primeira rota do Hyperloop que poderia ser construída considerava operar em San Francisco e Los Angeles, nos EUA. Entretanto, acredita-se que o trecho possa ser alterado para Las Vegas e Los Angeles. De qualquer maneira, estima-se que sejam gastos de US$ 6 bilhões a US$ 10 bilhões para cada 650 km de percurso construído. Isso levando em conta estações e trens.

O funcionamento do veículo seria basicamente o de um metrô mais elaborado que corre por um tubo sem ar e, portanto, praticamente sem atrito. Dentro da cabine, haveria pressão e oxigênio para os ocupantes permanecerem vivos durante a viagem. Mesmo assim, a eficiência energética do veículo seria alta. Ele percorreria seus tubos a velocidades um pouco menores que a do som, chegando a 1,2 mil km/h.