(Fonte da imagem: Reprodução/Jalopnik)

Tanques são realmente úteis no caso de um confronto militar, pelos simples fato de que eles são capazes de gerar grandes danos aos inimigos e também por serem muito resistentes. No entanto, esses veículos têm um problema: por conta do seu tamanho avantajado, eles são facilmente identificados, fazendo com que um possível ataque surpresa seja frustrado.

Para piorar, esse ponto negativo continua existindo em ataques noturnos ou em locais que são escuros, já que a grande maioria dos radares utilizados pelas forças armadas baseia os seus trabalhos em dados infravermelhos. Isso quer dizer que esses aparelhos rastreiam os tanques por conta do calor que ele emite no ambiente — ou seja: esses veículos brilham de maneira intensa do ponto de vista dos sensores.

Pensando nisso, a empresa polonesa OBRUM decidiu criar um sistema de camuflagem que permitisse a utilização de tanques em operações sigilosas. O objetivo da companhia é o de fazer com que essas armas enormes se tornem invisíveis aos radares em campos de batalha, o que resolveria grande parte do problema citado acima.

Ok, mas e como isso funciona?

De acordo com informações divulgadas por fontes internacionais, o nome do tanque que vai contar com essa habilidade de disfarce é PL-01. O projeto ainda está em desenvolvimento, sendo que o veículo deve levar várias novidades ao mercado bélico (algumas delas já foram criadas e outras ainda são estudadas pela empresa responsável).

No caso da invisibilidade em relação a radares infravermelhos, o sistema necessário existe e até mesmo foi testado, assim como você pode conferir no vídeo acima. Para esconder o calor gerado pelo tanque, foi utilizada uma espécie de "pele" artificial que é coberta por sensores infravermelhos (numa organização que lembra uma colmeia).

(Fonte da imagem: Reprodução/Jalopnik)

Dessa maneira, o PL-01 consegue coletar dados sobre a temperatura do ambiente e emitir essas informações para os sensores que podem estar realizando alguma observação no local — e, assim, a assinatura da arma desaparece. Contudo, o PL-01 consegue levar o seu disfarce para um patamar mais elevado.

Por conta da organização dos seus próprios sensores infravermelhos, o tanque é capaz de mostrar aos sensores inimigos o formato de um carro, por exemplo. Por conta disso, o PL-01 poderia ser considerado algo inofensivo, mesmo já estando dentro das fronteiras do exército oposto.

E não, não vai parar por aqui...

(Fonte da imagem: Reprodução/Jalopnik)

Ao contrário do que muita gente pode imaginar, a camuflagem de veículos de guerra para “cegar” sensores não é algo recente — há estudos sobre isso desde a década de 1940. Agora, o próximo passo da OBRUM é utilizar tecnologias baseadas em desvio de luz ou até mesmo em vídeos para que o PL-01 também se torne invisível aos olhos dos seus inimigos.

Outras características interessantes sobre este tanque polonês do futuro é o fato de que ele conta com um revestimento que foi descrito como capaz de absorver radiação — um protótipo completo deve ficar pronto em 2016. Além disso, com um maior estudo do trabalho com sensores infravermelhos utilizados pela OBRUM, esse sistema deve ser testado em aeronaves e até mesmo veículos ainda menores, como carros.

Tudo isso pode ser muito útil, não apenas para ataques discretos, mas também para tornar todos esses veículos invisíveis aos “olhos” de sensores de aviões — operações aéreas são largamente utilizados para minar forças terrestres de modo rápido e eficiente. Ou seja: os poloneses talvez tenham mostrado ao mundo a base do futuro da tecnologia bélica. Interessante, não é?