(Fonte da imagem: Reprodução/Aeros)

Após anos em desenvolvimento, o primeiro Aeroscraft, um modelo híbrido de dirigível e avião construído pela empresa Aeros, começa a levantar voo e se tornar realidade.

Desde 1937, com o acidente do Hindenburg, dirigíveis desapareceram dos céus e deixaram de ser uma opção de transporte aéreo, seja na área comercial, turística ou de carga.

Porém, o novo Aeroscraft traz inovações em tecnologia que aumentam a segurança e a viabilidade desse modelo de estrutura aerodinâmica. Em um futuro não muito distante, esses veículos poderão ser vistos novamente no ar e não serem obras de ficção.

Um gigante nos céus

O Aeroscraft combina elementos de uma aeronave mais leve que o ar com os de um avião. Feito de alumínio e fibra de carbono, ele comporta cerca de 396.000 m³ de hélio, estancados em enormes bexigas, o que neutraliza aproximadamente 60% do seu peso. Isto é impressionante se considerarmos as dimensões do veículo: 50 m de altura, 74 m de largura e 197 m de comprimento.

Graças a uma série de motores, o modelo pode alcançar voo como um avião. Ele poderá transportar cargas e passageiros e ir a lugares que aeronaves comuns são incapazes de chegar. Como não precisa de pistas de pouso e decolagem, o Aeroscraft pode ir a lugares remotos que não são acessíveis a aviões convencionais.

(Fonte da imagem: Reprodução/Aeros)

Novos modelos de veículos aerodinâmicos são uma tendência para o futuro da indústria de transporte, bem como para o turismo de passageiros. Com a estrutura do Aeroscraft, imensas cargas poderão ser transportadas ao redor do mundo com maior facilidade, sem a necessidade de desmontar peças muito grandes.

Além disso, acredita-se no potencial da aeronave para realizar um novo tipo de viagem, em que esses dirigíveis híbridos funcionem como gigantescos cruzeiros das alturas. Uma ideia capaz de deixar muita gente com vertigem.

Falta ainda, porém, um lançamento em definitivo do veículo. O voo realizado no último domingo ainda continha amarras de segurança para conter a estrutura. Mas ninguém duvida que a nave saia do chão. Um voo completo do Aeroscraft deve acontecer ainda nos próximos dias.