Conceito do X-51A Waverider (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

Já há alguns anos, a Força Aérea Estados Unidos, em conjunto com a DARPA e a Boeing, vêm testando um novo tipo de aeronave superpotente.

Chamado de X-51A Waverider, o projeto está sendo desenvolvido para viajar a velocidades surreais e nunca atingidas por esse tipo de nave.

E em seu quarto e último teste, os resultados parecem ter agradado os projetistas. De acordo com as notas oficiais lançadas pela Boeing e pela Força Aérea dos Estados Unidos, a aeronave conseguiu voar cerca de três minutos e meio utilizando a sua força supersônica, atingindo a velocidade chamada de Mach 5,1 – aproximadamente 6.250 quilômetros por hora.

Os trabalhos com o X-51A Waverider custaram cerca de 300 milhões de dólares e deve, trazer muitas informações para trabalhos futuros nesse sentido, não só com os registros de voo mas também com os dados de telemetria. Segundo Charlie Brink, um dos gerentes do projeto, “a missão foi um sucesso completo” e deve servir como uma espécie de “alicerce para as futuras pesquisas com motores hipersônicos”.

Motor revolucionário

Um dos principais objetivos do projeto é avaliar o funcionamento do motor scramjet hipersônico desenvolvido para o X-51A Waverider. Esse é considerado o primeiro motor de combustão do tipo a ser adaptado a esse uso.

X-51A Waverider sendo levado por um B-52 Stratofortress (Fonte da imagem: Reprodução/Boeing)

Trocando em miúdos, ele utiliza o oxigênio presente na atmosfera e toda a compressão de ar que acontece a partir da sua movimentação para a frente para consumir bem menos combustível do que um “foguete tradicional” gasta para atingir as velocidades consideradas supersônicas, por exemplo.

A ideia do projeto é descobrir como melhorar o desenvolvimento dessas tecnologias, que depois poderiam ser aplicadas em diversos ramos diferentes, como na exploração espacial, no desenvolvimento de naves não tripuladas e também na criação de novos e revolucionários mecanismos de defesa.