Interface Unity será padrão de todas as versões do Ubuntu a partir da 11.04. Imagem: Divulgação.

Interface Unity será padrão de todas as versões do Ubuntu a partir da 11.04. Imagem: Divulgação.

Mark Shuttleworth, fundador do Ubuntu, afirmou na Ubuntu Developer Summit (um encontro de desenvolvedores do Ubuntu) que a distribuição de Linux mais usada no mundo dará o maior passo de sua história na próxima versão.

A grande mudança ocorrerá no modo de organização da área de trabalho na versão de desktop do sistema operacional, que passará a usar o Unity, interface de usuário padrão do Ubuntu 10.10 para netbook.

Para Shuttleworth, a adoção do Unity será “a mais significativa mudança desde sempre” do Ubuntu, afinal, o sistema modifica o modo como o usuário interage com a área de trabalho e principalmente com os programas que rodam no computador. Para quem nunca viu, o Unity lembra um pouco a interface de usuário do Mac, tendo inclusive uma barra de menu.

Mas se você é fã do Ghome, não se desespere. O fundador do Ubuntu garantiu que a ideia é trabalhar o Unity e o Gnome juntos, e não substituir o segundo pelo primeiro. Shuttleworth acredita que esta coexistência de ambas as interfaces tende a alavancar ainda mais o projeto, estimulando a inovação destes ambientes.

Controvérsia

Como era de se esperar, o anúncio da mudança já gerou muitas opiniões controversas na comunidade Ubuntu. Se alguns apoiam a adoção do Unity, outros a veem com receio e acreditam que este pode ser um primeiro passo para um fork, uma “bifurcação” da interface atual da distro.

Porém, a Canonical (empresa responsável pelo Ubuntu) não é a primeira a tomar este rumo de criar derivações a partir de um padrão de interface como o Gnome. A Intel também produziu a partir do Cluster um sistema personalizado que é usado no MeeGo. A mudança levada a cabo pela Canonical no Ubuntu, contudo, chama mais atenção por ser realizada num sistema já consolidado.

Sensível ao toque

Você já viu no artigo que apresentou algumas das novidades do Ubuntu 10.10 que a distribuição passou a contar com o uTouch, um sistema nativo para suporte a aplicativos e dispositivos com tela sensível ao toque. Shuttleworth afirmou que esta área é uma das principais prioridades do Unity.

O fundador do Ubuntu acredita que telas sensíveis ao toque são o futuro da grande maioria dos dispositivos, e por isso mesmo a Canonical tem como objetivo aumentar cada vez mais a capacidade de interação via toque com o desktop. Veja abaixo um vídeo demonstrativo do uso do uTouch:

Compatibilidade

Outra coisa que deve preocupar os usuários é a questão da compatibilidade. Será que disponibilizar duas interfaces de usuário não vai causar uma divisão nos desenvolvedores? Afinal, determinados aplicativos podem ser projetados para ter integração exclusivamente com um tipo de desktop.

Para Mark Shuttleworth isto pode ser evitado se os desenvolvedores trabalharem através do FreeDesktop.org. Assim a padronização da integração para ambas as interfaces está garantida.

Gerenciamento de arquivos

Outro ponto tratado por Shuttleworth foi o gerenciamento de arquivos. Ele afirmou que o modo empregado atualmente está defasado e deve ser substituído por algo centrado na busca e em ferramentas que trabalhem com o contexto de uso. Para a versão 11.04 do Ubuntu o Nautilus, gerenciador de arquivos padrão do sistema, estará mais acessível graças ao Unity.

Cupons de desconto TecMundo: