(Fonte da imagem: Reprodução/PC Pro)

Conhecido por muitos como uma mera distribuição do Linux, o Ubuntu passou por diversas transformações recentemente. Transformado em um sistema operacional para várias plataformas, o produto tem o objetivo de concorrer diretamente com companhias como a Google e a Apple pela preferência dos consumidores.

Em uma atualização publicada em seu blog oficial, Mark Shuttleworth, fundador da Canonical, falou um pouco sobre essas mudanças e sobre os futuros objetivos do sistema operacional. No texto, ele não tem qualquer pudor em criticar aqueles que reclamam pelo fato de o software ter perdido a imagem elitista que possuía em um passado recente.

“Eu simplesmente tenho zero de interesse no público que quer ser diferente. “Leet”. ‘O Linux devia ser tão difícil que se torna exclusivo’ é a coisa mais estúpida que uma pessoa inteligente pode dizer. As pessoas sendo pessoas, infelizmente há muitos indivíduos inteligentes que mantêm esse ponto de vista”, disse Shuttleworth.

Objetivo de popularizar o Ubuntu

Segundo ele, a decisão de optar pela interface Unity, que prioriza elementos móveis e aplicativos baseados na nuvem, tem como principal objetivo atrair uma grande fatia do público. Ele também afirma que a Canonical tem que exercer sua liderança no mercado para que o Ubuntu se torne tão coeso e coerente quanto seus principais competidores.

Shuttleworth vê esse como o único caminho possível para que o sistema operacional consiga se tornar famoso entre o público em geral. Ele afirma que esse continuará sendo o objetivo de sua companhia, por mais que durante o processo seja preciso sacrificar um grupo pequeno de usuários que ainda preferem tratar o Linux de maneira elitista.

Cupons de desconto TecMundo: