Nós falamos recentemente que, lá fora, as coisas não estão indo tão bem assim para a Uber. Agora, além de ter perdido executivos importantes, a empresa está enfrentando a perda de engenheiros do seu projeto de direção autônoma.

A saída dos funcionários acontece em um momento delicado do litígio entre a companhia e a Waymo, empresa do grupo Alphabet, a respeito de um possível roubo de informações sobre o projeto de direção autônoma da “irmã” da Google por um ex-engenheiro que, ironicamente, se tornou responsável pelo programa de carros autônomos da Uber.

O funcionário, Anthony Levandowski, disse que vai se afastar das atividades relacionadas ao projeto de direção autônoma da Uber – mas seus colegas, segundo o site Recode, já estão ativamente procurando formas de sair da empresa.

Segundo fontes anônimas disseram ao site, enquanto alguns funcionários optaram por ver o desfecho da história, os engenheiros não querem nem aguardar pela decisão da justiça e já estão buscando novas oportunidades.

Eles querem aproveitar que o segmento de direção autônoma está bem aquecido e em busca de novos talentos, seja para trabalhar nas grandes montadoras de veículos ou nas empresas de tecnologia envolvidas e que estão recebendo um investimento pesado.

O grande motivador para a debandada é que, em primeira instância, um juiz ordenou que a Uber congelasse completamente o seu programa de desenvolvimento de direção autônoma – decisão que foi revista na semana passada, quando as provas indicaram que poucas informações levadas da Waymo por Levandowski foram efetivamente utilizadas no projeto da companhia.

Por hora, tanto o processo quanto o projeto de direção autônoma da Uber continuam rodando e, ao que tudo indica, com novas oportunidades para outros engenheiros aparecendo por aí.

Cupons de desconto TecMundo: