O Twitter liberou ontem o resumo do seu relatório fiscal do primeiro trimestre de 2015 e trouxe notícias boas e ruins para seus investidores. A empresa ainda não conseguiu lucrar, mas tem registrado um crescimento bastante forte na sua base de usuários. O CEO Dick Costolo, entretanto, apresentou algumas soluções para resolver essa situação.

A receita total do Twitter nesse primeiro trimestre do ano foi de US$ 436 milhões, um valor 74% maior do que o registrado no mesmo período de 2014. As previsões, entretanto, eram de que a companhia conseguiria pelo menos US$ 440 milhões. Fora esse valor, a empresa ainda disse que teve um prejuízo líquido de US$ 162 milhões nesses primeiros três meses do ano, o que preocupa os investidores.

Como sair do buraco

Costolo comentou que o Twitter já tomou duas providências para se tornar uma empresa lucrativa. A companhia de marketing digital TellApart, que já trabalhou com o departamento de anúncios do Facebook, foi adquirida. Com ela, o Twitter espera ser mais eficiente na venda de anúncios na rede social e em suas outras duas plataformas, o Vine e o Periscope.

Isso quer dizer que o Twitter deve trazer mais anúncios para sua base em breve com a finalidade de impulsionar sua receita já para o segundo trimestre de 2015. Quando isso impactará definitivamente nos usuários, ninguém sabe.

Twitter + Google

A segunda solução apresentada por Costolo para melhorar a lucratividade da empresa foi a criação de uma parceria com a Google no DoubleClick. Essa plataforma da gigante das buscas vai melhorar a medição de impacto dos anúncios apresentados no Twitter para que os anunciantes da rede social tenham mais dados sobre com os quais trabalhar em suas campanhas publicitárias.

Se a companhia obtiver sucesso, a sua crescente base de usuários — que já chegou aos 302 milhões (18% de crescimento em um ano) — pode tornar a rede social tão lucrativa quanto o Facebook, dadas as devidas proporções.

Cupons de desconto TecMundo: