O governo quer se assegurar de que todos tenham TV digital. Até lá, o sinal analógico não será desligado, garante Patrícia Ávila, Secretária de Serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações. O governo quer ter certeza de que 100% da população brasileira tenha a recepção do sinal digital para que a analógica possa ser completamente desligada. A secretária participou de audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática sobre o cronograma de transição da TV analógica para a digital.

De acordo com Ávila, 69% dos consumidores brasileiros já adquiriram TVs com sinal digital. Ainda segundo a secretária, a capacidade de produção da indústria é de mais de 10 milhões de televisores com a tecnologia num período de seis meses. “Havendo demanda, a indústria consegue atendê-la”, explica.

O governo estaria buscando os seguintes meios para atender a famílias de baixa renda e auxiliar no processo de inclusão:

  • Subsídio em crédito;
  • Subsídio à produção de conversor para sinal digital de baixo custo;
  • Distribuição de cupom, modelo já adotado nos EUA;
  • Distribuição de receptores, procedimento utilizado no México e no Japão.

Convém lembrar que há um decreto do ministério feito num longínquo ano de 2006 que prevê o desligamento de todas as TVs analógicas para 30 de junho de 2016. O ministério, no entanto, mudou de ideia após um estudo realizado em outros países que tiveram a mesma experiência. Então, para nossa surpresa, o governo voltou atrás e publicou um novo decreto em julho deste ano para a desativação do sinal analógico: 2015.

O desligamento será feito em etapas, a começar pelas regiões metropolitanas e maiores cidades do país e depois atingir interiores e locais mais remotos. A previsão é que o processo todo, a ser realizado paulatinamente, seja concluído até 2018.

Cupons de desconto TecMundo: